Não vai ter Bolsonaro em 2022, diz Datafolha, ao apontar rejeição de 59%

Não vai ter Bolsonaro em 2022, diz Datafolha, ao apontar rejeição recorde do presidente

Jair Bolsonaro é o presidente mais rejeitado desde a redemocratização do País, afirma o Datafolha –que foi ao baú para confrontar números atuais com os pretéritos.

Segundo o instituto, 59% dos brasileiros não votam hoje de jeito nenhum a favor da sua reeleição. É a maior rejeição de uma série histórica desde 1989.

Na prática, o Datafolha garante que não vai ter Bolsonaro em 2022.

Lula, líder nas pesquisas, tem 38% de rejeição.

O Datafolha, que é um braço de banco, afirma que Bolsonaro ainda pode reverter a rejeição e que Lula tem sua rejeição consolidada, mas reconhece que o petista está muito “tranquilo e confortável” na disputa de 2022.

Pico de rejeição dos eleitos:

  • 1989 – Fernando Collor (PRN) – 11% a 30% (de junho a novembro de 1989)
  • 1994 – Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – 12% a 17% (maio a setembro de 1994)
  • 1998 – Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – 25% a 21% (março a setembro de 1998)
  • 2002 – Lula (PT) – 30% a 29% (novembro de 2001 a setembro de 2002)
  • 2006 – Lula (PT) – 30% (outubro de 2005 a setembro de 2006)
  • 2010 – Dilma Rousseff (PT) – 21% a 27% (dezembro de 2009 a setembro de 2010)
  • 2014 – Dilma Rousseff (PT) – 27% a 33% (outubro de 2013 a setembro de 2014)
  • 2018 – Jair Bolsonaro (PSL) – 33% a 44% (setembro de 2017 a outubro de 2018)

Na última pesquisa do Datafolha, há um mês, aponta que Lula pode vencer já no primeiro turno –à luz da rejeição de Bolsonaro e do naufrágio da terceira via.

Leia também

Os 11 crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro, segundo a CPI da Covid-19

Dubai é uma “beleza”, relata deputada que integra comitiva de Ratinho Junior [vídeo]

Ratinho nega que torrou R$ 6 milhões, mas plano de aplicação prevê os gastos em Dubai