Copom: André Esteves, do BTG Pactual, já foi ouvido antes do aumento da taxa de juros Selic?

Copom: André Esteves, do BTG Pactual, já foi ouvido antes do aumento da taxa de juros Selic?

Daqui a pouco, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne para decidir a nova taxa básica de juros. Fala-se em elevar a usura em 1,5 ponto percentual, para 7,75% ao ano.

Nesse círculo vicioso da política econômica, sobe a gasolina e o gás da cozinha; o preço da comida dispara no mercado; o dólar vai ao céu. Um dos beneficiários disso é o ministro da Economia, Paulo Guedes, que protegeu seu dinheiro em um paraíso fiscal –segundo o consórcio jornalístico Pandora Papers.

Se a taxa básica de juros Selic vai subir hoje, será o banqueiro André Esteves, dono do BTG Pactual, já foi ouvido pelo presidente do Banco Central (BC).

A julgar pelo áudio vazado pelo site Brasil 247, Roberto Campos Neto, presidente do BC, já pediu autorização para o banqueiro.

O aumento dos juros pelo BC significará taxas maiores para quem entrou no cheque especial ou no cartão de crédito. Os brasileiros são os que mais pagam por esse tipo de crédito no mundo.

A taxa no cheque especial é superior a 300% ao ano, de acordo com o banco, e a taxa de juros no cartão de crédito é superior a 360% ao ano, dependendo da bandeira e da instituição financeira.

Chame o ladrão, portanto.

Leia também

O Brasil 247 desnudou o esquema ‘Estado mínimo’ e ‘negociatas máximas’ com vazamento de áudio do banqueiro André Esteves

Osso para o povo enquanto Paulo Guedes come espeto corrido em churrascaria de Brasília

Bolsonaro e Guedes produziram mais de 2 Venezuelas de pobres e famintos no Brasil