Bolsonaro ameaça sobre permanência de Guedes: 'A gente vai sair juntos'

Bolsonaro ameaça sobre permanência de Guedes: ‘A gente vai sair juntos’

Deus nos livre e guarde. O presidente Jair Bolsonaro fez a mais grave das ameaças que se poderia fazer à seguridade da coletividade. Ele afirmou: ‘A gente vai sair juntos’, referindo-se a permanência do ministro da Economia, Paulo Guedes, no governo. Nós torcemos para que eles saiam já, imediatamente, juntos ou separados.

Guedes e Bolsonaro apareceram em público neste domingo (24/10) para chantagear o Congresso Nacional.

Ao lado do presidente da República, Guedes disse que a reforma administrativa poderia compensar parte da conta de R$ 30 bilhões que o governo precisou articular para acomodar o Auxílio Brasil no valor de R$ 400 até o fim de 2022.

O ministro da Economia, amparado por Bolsonaro, mentiu ao afirmar que a reforma administrativa não impactaria os atuais servidores.

O presidente Jair Bolsonaro, questionando, voltou a negar a possibilidade de que Guedes deixasse o governo. “A gente vai sair juntos [do governo], fique tranquilo”, ameaçou.

Guedes e Bolsonaro, que são representantes dos bancos e dos especuladores no governo, veem no presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), potencial resistência às picaretagens neoliberais. O congressista é cogitado para a vice na chapa do ex-presidente Lula (PT) nas eleições de de 2022.

“Se ele quiser se viabilizar como uma alternativa séria, ele precisa ajudar nosso governo a fazer as reformas”, espezinhou Guedes, referindo-se a Pacheco.

Leia também

Rodrigo Pacheco filia-se ao PSD de olho na vice de Luiz Inácio Lula da Silva na eleição de 2022

Osso para o povo enquanto Paulo Guedes come espeto corrido em churrascaria de Brasília

Jair Bolsonaro entre PL, PTB, PP; veja as possibilidades de filiação do presidente da República