Jornal Folha de S.Paulo assumiu a coordenação de campanha de Jair Bolsonaro em 2022. Foto de Lula: Ricardo Stuckert

Bolsonarista, Folha de S.Paulo inicia nova campanha anti-Lula e anti-PT

Começou a campanha presidencial de 2022, sob a perspectiva da velha mídia corporativa.

A Folha de S.Paulo, que é um banco, deu início neste sábado (16/10) a uma nova campanha de desconstrução do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT.

Segundo as pesquisas de intenção de votos, Lula e seu partido têm as melhores aprovações entre o eleitorado brasileiro.

A Folha –que é do grupo do PagBank, PagSeguro e da maquinha Moderninha de pagamentos online– abandonou o jornalismo faz tempo para especular com as notícias. Por isso a empresa de comunicação abriu a campanha anti-Lula e anti-PT.

Embora não declare explicitamente apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro, a Folha continua bolsonarista e ajuda o atual mandatário abrindo fogo contra o petista.

O jornalão paulistano está para o jornalismo assim como Ciro Gomes está para a esquerda.

“PT mistura omissões, fatos e mentira para tentar se desvincular de petrolão e mensalão”, cravou a Folha, atuando como linha auxiliar de Bolsonaro –posição que sempre exerceu, desde 2018.

Ao invés de destacar as ilegalidades da Lava Jato e do ex-juiz Sergio Moro, a velha mídia corporativa vai preferir a campanha contra Lula.

Moro foi considerado um juiz suspeito e as ações penais contra o ex-presidente foram todas anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Doutor, eu não me engano. O coração da Folha é miliciano.

Leia também

Bolsonaro disse que conta de luz vai voltar ao “normal”, mas Globo afirma que ele “não pode” reduzir

Por falar em pária, e o Guedes? Cadê o Paulo Guedes? E a conta no paraíso fiscal? E se fosse o PT?

Em busca de trégua com a velha mídia, Bolsonaro sinaliza com a privatização da Petrobras