54 anos sem Che Guevara: “Sejamos o pesadelo de quem quer tirar nossos sonhos de nós”

54 anos sem Che Guevara: “Sejamos o pesadelo de quem quer tirar nossos sonhos de nós”

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, homenageou a partida de Che Guevara há 54 anos. “Nosso sacrifício é consciente; taxa para pagar pela liberdade que construímos. Posteriormente, definição vertical: Vamos ser o pesadelo de quem quer tirar os nossos sonhos”, disse o mandatário da ilha caribenha.

Para Díaz-Canel, o ser cuja palavra nunca se conjuga no passado nunca morre. “Che fala com a força de quem vive hoje, e se parte em dois, com a verdade, a infâmia, e estende a mão para colocar a mão em nossos ombros, e nos contar, para que entendamos”, afirmou.

O guerrilheiro Ernesto Che Guevara foi emboscado e morto pelo Exército da Bolívia no dia 8 de outubro de 1967.

Mesmo assassinado há 54 anos, Guevara continua sendo um ícone de rebeldia e da luta por um mundo mais justo.

Ernesto Guevara de la Serna, Che Guevara, foi capturado no dia 8 de outubro pelo exército boliviano em Vallegrande, na região central da Bolívia, e morto no dia seguinte –dia 9 de outubro, como hoje.

Che Guevara foi guerrilheiro que lutava pela unificação da América Latina sob a bandeira do socialismo. Ele morreu aos 39 anos e deixou 5 filhos.

Che ajudou Fidel Castro fazer a Revolução em Cuba, mas também deixou um legado de solidariedade e altruísmo, além de ser um ícone para a juventude mundial.

Leia também

Gasolina é vendida por nove reais o litro em Curitiba, a mais cara do País

Bolsonaro ameaça com novos aumentos dos combustíveis: ‘Eu não vou na canetada congelar o preço’

Vem aí a ‘onda vermelha’ com Lula nas eleições de 2022