Bolsonaro ameaça com novos aumentos dos combustíveis: 'Eu não vou na canetada congelar o preço'

Vai vendo, Brasil: Petrobras anuncia alta de 8,89% no preço do diesel

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro prometer que o pior ainda estaria por vir, a Petrobras anunciou nesta terça-feira (28/09) que vai elevar o preço do diesel vendido às distribuidoras.

Segundo estatal, o preço médio de venda do diesel A passa de R$ 2,81 para R$ 3,06 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,25 por litro. O novo aumento entra em vigor na quarta-feira (29/09).

Segundo a Petrobras, a alta de 8,89% vem após 85 dias de preços estáveis para o combustível – a última alta antes dessa havia sido em 7 de julho passado. A Petrobras não informou reajuste nos preços dos demais combustíveis, que certamente estará a caminho.

A elevação no preço dos combustíveis foi alvo de novas críticas do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que tem o poder de iniciar o processo de impeachment do presidente da República. A retórica do parlamentar, acerca dos preços abusivos nos combustíveis, soam palavras ao evento diante da prevaricação [crime de omissão]: ele senta em cima de 130 pedidos de impeachment.

Durante cerimônia no Palácio do Planalto, na segunda-feira (27/09), Bolsonaro cometeu sincericídio ao afirmar que ‘Nada não está tão ruim que não possa piorar’. Muitos entenderam como o slogan na campanha pela reeleição do presidente em 2022.

Os caminhoneiros não se manifestaram sobre mais essa tungada que levarão de Bolsonaro.

Vai vendo, Brasil.

Leia também
Venezuela tem a gasolina mais barata do mundo

Flávio Dino mete fogo na gasolina cara de Bolsonaro e chama de “criminosos” apoiadores do presidente

Arthur Lira cobra de Bolsonaro redução nos preços da gasolina e do gás de cozinha. É assim que começa um impeachment?

Requião ‘desenha’ e põe fim à falsa polêmica do ICMS no preço abusivo da gasolina