Lula vai a Brasília segunda-feira pelo impeachment de Bolsonaro

Luiz Inácio Lula da Silva vai a Brasília nesta segunda-feira pelo impeachment de Bolsonaro

O k-suco vai ferver nas próximas horas e dias em todo o País. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, líder nas pesquisas de intenção de votos para 2022, desembarca em Brasília nesta segunda-feira (27/09) pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. A informação é do deputado Zeca Dirceu (PT-PR), que participou na noite de quinta (23/09) da “Caravana Requião Me Chama Que Eu Vou“, em Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná.

A articulação do impeachment por Lula tem um pouco de altruísmo porque as pesquisas dão a ele vitória já no primeiro turno nas eleições presidenciais de 2022. Ele nem precisaria se mexer muito, mas, segundo petistas, a movimentação do ex-presidente é pelo amor ao povo brasileiro que não aguenta mais o desgoverno Bolsonaro.

“O maior inimigo do povo brasileiro hoje é Jair Bolsonaro e sua pauta econômica que faz o povo sofrer: desemprego, carestia. É isso que temos de derrotar para salvar vidas e a democracia! Por isso Lula se torna a maior esperança para o Brasil”, resumiu a deputada Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, ao convocar a manifestação no dia 2 de outubro pelo “Fora Bolsonaro, impeachment já!”

Lula em Brasília vai se reunir com as bancadas de deputados e senadores, no Congresso Nacional, e se encontrará com lideranças partidárias para trabalhem juntos pela abertura do impeachment na Câmara. O objetivo do ex-presidente é tratar de assuntos que dizem respeito aos interesses da sociedade –como a carestia, apagão, crise hídrica, desemprego, reforma administrativa, volta da fome, aceleração da vacinação para todas as faixas etárias, auxílio emergencial, dentre outras pautas– e aqueles [assuntos] que têm relação com a democracia e o pós-Bolsonaro.

O ex-presidente Lula ainda irá conversar com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, para azeitar os entendimentos regionais em 2022. O PT quer os socialistas subam no palanque de Lula e Requião no Paraná, por exemplo, ao passo que os socialista pedem em contrapartida o PT no palanque de Márcio França em São Paulo, etc. e tal.

Leia também

Banho frio, luz de vela, fogão a lenha, subir escadas; Bolsonaro dá marcha à ré de 100 anos na história

NÃO às escolas militarizadas!

Belinati lamenta rejeição do Conselho LGTB pela Câmara de Vereadores de Londrina