Segundo o Datafolha, 76% dos brasileiros autorizam o impeachment se Bolsonaro sair das quatro linhas da Constituição

Segundo o Datafolha, 76% dos brasileiros autorizam o impeachment se Bolsonaro sair das quatro linhas da Constituição

Ironicamente, os apoiadores do presidente disseram que a manifestação de 7 de Setembro era para “autorizá-lo” a não sei o quê. Pois bem, pesquisa do Datafolha divulgada neste sábado (18/09) assegura que incríveis 76% dos brasileiros autorizam o impeachment de Jair Bolsonaro, caso ele descumpram decisões judiciais e saia das quatro linhas da Constituição Federal.

Na prática, o ministro do STF Alexandre de Morais foi autorizado agir para conter as ameaças de Bolsonaro.

Nos protestos da Avenida Paulista, em São Paulo, no Dia da Independência, Bolsonaro garantiu que não iria cumprir quaisquer ordens judiciais do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes.

O Datafolha mostra que a sociedade brasileira colocou uma “tornozeleira eletrônica” na canela do presidente Jair Bolsonaro. Caso ele saia dos marcos da legalidade constitucional e cometa [mais] crimes de responsabilidade.

O levantamento do Datafolha foi realizado entre os dia 13 e 15 de setembro. O instituto ouviu presencialmente 3.667 eleitores em 190 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Apesar de os números serem duros para o presidente da República, os bolsonaristas não entenderam a sondagem como “boa” para Bolsonaro e “ruim” para a natimorta terceira. Esses apoiadores de Bolsonaro chamam o instituto de “DataLula” e a Folha de “comunista” por contratar e publicar a sondagem.

Quem são os mais favoráveis ao impeachment de Bolsonaro, segundo o Datafolha:

  • Jovens de 16 a 24 anos (86% defendem o impeachment no caso)
  • Mais pobres (82%); e
  • Que reprovam o presidente (94%).

Os que mais toleram os crimes de Bolsonaro, segundo o Datafolha:

  • Mais ricos (32% não veem necessidade de um processo);
  • Empresários (39%); e
  • Que aprovam o desempenho presidencial (59%).

Leia também

Zé Trovão fica “nervoso” após entregar suposto acordo havido com Alexandre de Moraes [vídeo]

Oswaldo Eustáquio se lança como pré-candidato ao Senado e aposta em levante da direita no mundo [vídeo]

Se Bolsonaro continuar no cargo, a gasolina vai custar R$ 10 até o fim de 2022