Uma das estratégias da defesa de Jefferson, a partir de agora, pode ser puxar o presidente Jair Bolsonaro para a polêmica prisão.

Roberto Jefferson convida Jair Bolsonaro para se filiar em seu partido e disputar reeleição em 2022

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, preso há quarenta dias, formalizou convite para a filiação do presidente Jair Bolsonaro visando a disputa pela reeleição em 2022. O mandatário está sem partido desde 2019, após deixar o PSL por desavença em relação ao controle do fundo partidário de R$ 359 milhões.

Estar filiado a uma agremiação é requisito fundamental para a habilitação do candidato a cargo eletivo, segundo a Constituição Federal.

Preso por determinação do ministro do STF, Alexandre de Moraes, Jefferson está no presídio de Bangu 8, no Rio de Janeiro.

O presidente do PTB espera um habeas corpus, a qualquer momento, porque ele alega que caíram todos os requisitos para manter sua prisão preventiva cumprida desde 13 de agosto.

Segundo o Supremo Tribunal Federal, Roberto Jefferson foi preso fazer parte de uma “possível organização criminosa” que busca “desestabilizar as instituições republicanas”.

Na quinta (23/09), a Procuradoria-Geral da República voltou a defender prisão domiciliar para Roberto Jefferson, que, na primeira oferta, recusou a tornozeleira eletrônica.

Após a última manifestação da PGR, sobre a revogação da prisão de Zé Trovão, o líder dos caminhoneiros da manifestação de 7 de setembro, Alexandre de Moraes negou o pedido alegando que o bolsonarista é um foragido da Justiça Brasileira, haja vista ele estar no México.

Ou seja, mesmo com o status de presidiário, Jefferson não para de fazer política e quer cooptar Bolsonaro para sua cela, ops!, partido.

Leia também

URGENTE: Lula vai a Brasília segunda-feira pelo impeachment de Bolsonaro

Bolsonaro vem aí, que Deus nos livre e guarde. Use máscara e álcool em gel

William Bonner, do Jornal Nacional, se “engasga” ao falar sobre vitória de Lula no primeiro turno