Manifestante do MTST segurando o osso na bolsa de valores é retrato do Brasil real enquanto a burguesia fica com o filé mignon.

Povo faminto toma a bolsa de valores, símbolo da picaretagem neoliberal no Brasil

O MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) ocupou na tarde desta quinta (23/09) a sede da bolsa de valores de São Paulo, a B3, no centro da capital paulistana. A manifestação é contra a fome. A B3 é o símbolo da picaretagem neoliberal no Brasil, de privatizações e especulações com notícias e ativos públicos.

Os organizadores da manifestação acusam o presidente Jair Bolsonaro de garantir a concentração da riqueza nas mãos de poucos e a volta da fome para milhões de brasileiros.

“Ocupamos a bolsa de valores de São Paulo, maior símbolo da especulação e da desigualdade social. Enquanto as empresas lucram, o povo passa fome e o trabalho é cada vez mais precário. Quem segura o Bolsonaro lá são os donos do Mercado!”, comunicou o MTST pelo seu perfil no Twitter, marcando o post com as hashtags #TáTudoCaro #ACulpaÉdoBolsonaro.

O movimento acusa o governo de promover 15 milhões de desempregos e de deixar passar fome 19 milhões de pessoas, além de denunciar a carestia, inflação, os preços dos alimentos, gasolina, gás de cozinha e a falta de outros itens de necessidades básicas para uma família.

Guilherme Boulos, pré-candidato do PSOL ao governo de São Paulo, elogiou a manifestação na B3. “O lucro de uns não pode ser a fome de outros. Parabéns ao MTST pela ação na Bolsa de Valores!”, disse. Para o líder popular, a foto de um manifestante segurando o osso na bolsa de valores é retrato do Brasil real enquanto a burguesia fica com o filé mignon.

Leia também

Ao vivo: CPI da Covid funga no cangote do presidente Jair Bolsonaro

CPI exibe PowerPoint e diz que Lira ‘ainda’ segura impeachment Bolsonaro; siga ao vivo

TSE vai investigar internacionalização de crimes eleitorais de Jair Bolsonaro; agora cassa?