Os mil dias de Bolsonaro que aterrorizaram o Brasil

Os mil dias de Bolsonaro que aterrorizaram o Brasil

O presidente Jair Bolsonaro participa de uma série de eventos comemorando mil dias de governo, que, na percepção da maioria, aterrorizaram os brasileiros pela volta da fome e da carestia. Senão vejamos.

“Conta de luz, botijão de gás, alimentos, gasolina, aluguel… A inflação sobe na mesma proporção que despenca o apoio ao genocida”, descortinou Guilherme Boulos, líder do MTST, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSOL.

“Balanço de 1.000 dias de Bolsonaro: 19,1 milhões de famintos 14,7 milhões na extrema pobreza 14,4 milhões de desempregados Quase 600 mil mortos por covid-19 Impeachment e cadeia já!”, arrematou Boulos.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), observou que desde 2019, a política de preços dolarizados da Petrobras provocou 94 aumentos no preço do diesel e 107 no da gasolina. O diesel teve alta de 23,5%, gasolina 51% e gás 85,4%. O lucro da Petrobras foi R$ 91 bi e distribuiu R$ 56,5 bi em dividendos para acionistas. “Povo pagou a festa”, criticou a dirigente petista.

O deputado Arilson Chiorato (PT-PR), presidente do PT no Paraná, pergunta o que Bolsonaro está comemorando nesses mil dias tenebrosos.

“Bolsonaro comemora 1.000 dias de governo, mas comemora exatamente o quê? As 600 mil mortes por Covid? As 20 milhões de pessoas que passam fome no Brasil? Os 14,5 milhões de desempregados? A cesta básica que ficou 34% mais cara nos últimos 12 meses?”, pontuou.

Os dados econômicos também são desfavoráveis para o projeto continuísta de Bolsonaro, pois o IPCA-15, índice que mede a inflação, apontou que setembro teve a maior taxa para o mês desde o início do Plano Real, em 1994, ou seja, um diabólico recorde de 27 anos.

Há também as perdas em vidas, em virtude do negacionismo do governo, que somam 600 mil mortes na pandemia. Especialistas afirmam que ao menos metade das pessoas poderiam ser salvas se tivesse havido vacinação antes, porém Bolsonaro rejeitou a compra antecipada e adiou a imunização da população brasileira.

Os ataques às instituições e à democracia, ameaças de golpe, CPI da Covid que investiga corrupção no governo, ficam de lambuja.

Mil dias já deu. Impeachment já!

Leia também

Véio da Havan estuda comparecer fantasiado de super-herói na CPI da Covid

Luiz Inácio Lula da Silva vai a Brasília nesta segunda-feira pelo impeachment de Bolsonaro

Após perder na Alemanha, direita tenta manter último bastião no Brasil com Jair Bolsonaro