"Obrigado Paulo Guedes", ironizam redes sociais sobre o silêncio cúmplice da velha mídia corporativa e da CPI

“Obrigado Paulo Guedes”, ironizam redes sociais sobre o silêncio cúmplice da velha mídia corporativa e da CPI

A velha mídia corporativa continua silente em relação aos crimes cometidos pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que está matando milhões de brasileiros de fome. A capa do jornal carioca Extra, de quarta (29/09), foi bastante emblemática sobre a extrema fome no País. É por isso que as redes sociais ironizam dizendo “Obrigado Paulo Guedes”.

A reação das redes sociais se deu após a declaração de Paulo Guedes segundo qual a economia brasileira ‘está bombando’, apesar de a realidade objetiva mostrar cenário horripilante. “Nós voltamos em V”, mentiu o ministro, ao simular crescimento econômico que nunca houve em sua gestão.

Até mesmo o combativo presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz (PSD-AM), sucumbiu aos encantos dos banqueiros ao rejeitar requerimento do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) para ouvir Guedes sobre a ação da pasta na pandemia. Segundo depoimento da advogada Bruna Morato, o pacto da Prevent Senior também envolvia o Ministério da Economia.

Aziz alegou que a não convocação de Guedes “preserva” a economia. Está errado o presidente da #CPIdaCovid. Ora bolas, carambolas. Essa diabólica ordem econômica atual só interessa a bancos, especuladores e aos que agem de má-fé. Vide as pessoas que estão passando fome revirando lixões de ossos e pelancas em adiantado estado de putrefação.

“Obrigado Paulo Guedes”, publicou um internauta. “500 gramas de feijão por R$ 11”, continuou.

Outra postagem afirma que “O GOLPE foi contra o pobre, com a mídia com o supremo com tudo. Obrigado Paulo Guedes”.

Globo, Veja, Estadão, Folha, IstoÉ, O Antagonista, SBT, Record, et caterva, fingem que não têm nada com isso –muito menos o ministro da Economia. Eles fazem ‘fake news reversa’ ao omitir os crimes, não cumprir com a função social da imprensa.

A velha mídia, também chamada pela alcunha P.i.G (Partido da imprensa Golpista), induz o cidadão desavisado a atribuir “apenas” ao presidente Jair Bolsonaro esse estado de coisas. Não é verdade. Nada tem a ver com a pessoa física do mandatário. Tem a ver sim com a política econômica de natureza neoliberal apoiada pelos barões da mídia, cuja narrativa também é vendida pelos banqueiros por motivos óbvios.

Os profissionais de imprensa, na boa-fé, dizem que Bolsonaro empurrou o país para a “venezuelização”, mas não dizem que o piloto dessa operação é o ministro Paulo Guedes e o copiloto as empresas de comunicação brasileiras.

“Obrigado Paulo Guedes” foi parar no Twitter Trends. “Não esquecer de agradecer também Arthur Lira, Rodrigo Pacheco e Augusto Aras que juntos mantém esse desgoverno Genocida!”, advertiu uma navegante.

Ainda no campo da ironia –Obrigado Paulo Guedes– as redes sociais não perdoaram o Jornal Nacional, principal telejornal da Globo: “Viu o JN hoje? Falou em racionamento de energia na China. A Inglaterra? Sofrendo desabastecimento. O Brasil apesar de tudo é um forte.”

Mas há quem tenha perdido as estribeiras com a volta da fome patrocinada de velha mídia, bancos, Paulo Guedes, com Supremo e tudo: “Obrigado Paulo Guedes por colocar o Brasil de novo no mapa da fome, vai tomar no cool Paulo Jeques!”

Paulo Guedes continua blindado dos crimes que ele comete. Obrigado Globo e CPI pelo seu silêncio cúmplice.

Apagão, fome, desemprego, carestia, preço abusivo dos combustíveis, inflação, salários em queda, etc. É disso que estamos falando.

Leia também

Ao proteger Paulo Guedes, Globo é cúmplice pela extrema fome no Brasil provocada por Bolsonaro

Paulo Guedes quer matar o mensageiro ao dizer que IBGE está na idade da pedra lascada

Paulo Guedes e Carluxo na mira da CPI da Covid. Qual a chance deles serem convocados pelo Senado?