Clóvis Costa, secretário-geral do MDB de Curitiba: "o MDB não poderia deixar de somar esforços pelo impeachment de Bolsonaro"

MDB de Curitiba contraria Michel Temer aderindo à manifestação pelo ‘Fora Bolsonaro’ no 12 de setembro

Bem-vindo à verdade, ao Blog do Esmael.

O MDB e o PSDB de Curitiba aderiram ao ato contra Bolsonaro no dia 12 de setembro, o Fora Bolsonaro.

Emedebistas e tucanos da capital paranaense resolveram aderir à manifestação articulada por movimentos como ‘Vem pra Rua’ e ‘Livres’ pelo impeachment de Jair Bolsonaro, marcada para o próximo no domingo (12/09), às 15hs, na Boca Maldita, tradicional ponto de encontro dos movimentos populares.

O anúncio da participação do MDB ocorreu horas depois de o ex-presidente Michel Temer, o Vampiro Neoliberalista, articular uma carta de rendição incondicional do presidente Bolsonaro. Ou seja, Temer trabalha pelo movimento ‘Fica Bolsonaro’ enquanto a base exige o impeachment.

Segundo Clóvis Costa, secretário-geral do MDB de Curitiba, “independente de quem está convocando, o MDB não poderia deixar de somar esforços pelo impeachment de Bolsonaro. A defesa do regime democrático está no DNA do MDB e o partido jamais admitirá quem atente contra ela.”

O MDB de Curitiba contraria Michel Temer aderindo à manifestação pelo ‘Fora Bolsonaro’ no 12 de setembro, isto é fato importante porque demonstra que o Vampiro Neoliberalista perdeu influência entre a base partidária em todo o país.

Para o presidente do Diretório Municipal do PSDB, Edson Lau, “o momento deve ser de união pelo afastamento de Bolsonaro. Caso contrário, esta instabilidade provocada por ele continuará a afetar o dia a dia dos brasileiros, que clamam por pautas como o combate à inflação e a geração de emprego e renda.”

Edson Lau, presidente do PSDB de Curitiba: “o momento deve ser de união pelo afastamento de Bolsonaro.
Edson Lau, presidente do PSDB de Curitiba: “o momento deve ser de união pelo afastamento de Bolsonaro.

A expectativa dos organizadores é de que outras forças políticas da capital se unam à manifestação, pois o ato busca seguir pelo viés do “Fora Bolsonaro” e não dar palco para discussões eleitorais –antecipando a corrida sucessória de 2022.

Também já confirmaram presença os partidos Cidadania e Novo, os movimentos “Curitiba contra Corrupção”, “Lava Togas” e “UJL – Juventude Livre”, além da UGT – União Geral dos Trabalhadores.

Outras agremiações partidárias de Curitiba e do Paraná também estão chamando a manifestação no dia 12. São elas:

 

  • Livres
  • Rede
  • PDT
  • Acredito
  • PSOL
  • Agora
  • PCdoB
  • Unegro
  • UNE
  • UBES
  • Solidariedade
  • MBL

 

O ex-senador Roberto Requião, que se desfiliou há 40 dias do MDB, disse que esse movimento no dia 12 “amansa o Bolsonaro” e alimenta a continuidade dos crimes contra o Brasil. Segundo ele, o foco é o liberalismo econômico, o empreguismo, a escravização do trabalhador. “O Bolsonaro é apenas um caso clínico” declarou.

 

Leia também

BOLSONARO FORA EM 2022

Mundo político resume como Bolsonaro se saiu da ‘Semana da Pátria’ em apenas uma imagem; confira

Flávio Dino explica recuo de Bolsonaro: ‘covardia e queda nas pesquisas’

Bolsonaro “cagão” comete ato falho em bandeira branca com STF: “A harmonia entre eles não é vontade minha”

Ricardo Barros volta para o ‘bico do corvo’ após o recuo do presidente Jair Bolsonaro