É falso que Sergio Reis morreu após suposto acordo de Bolsonaro com o ministro Alexandre de Moraes

É falso que Sergio Reis morreu após suposto acordo de Bolsonaro com o ministro Alexandre de Moraes

A música de Sergio Reis, como Panela Velha, ainda poderá ser ouvida ao vivo cantada pelo artista. Não é verdade que o apoiador do presidente Bolsonaro morreu após o suposto acordo com o ministro do STF, Alexandre de Moraes, facilitado por Michel Temer (MDB).

Embora Sergio Reis tenha tivesse tido “vontade” de morrer por causa do suposto acordão, ele continua vivinho da Silva.

Na quinta-feira (09/09), Temer costurou com seu indicado no STF [Alexandre de Moraes] um acordão com Bolsonaro. Por causa disso, apoiadores do mandatário se sentiram chifrados e abandonados na estrada pelo “mito”.

O cantor entrou no olho do furacão na met6ade do mês de agosto ao publicar vídeo, vazar áudio e conceder entrevista estimulando protestos e invasão contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional.

O presidente da República fez crer que haveria um “autogolpe” com participação de militares e levante armado contra os demais poderes –instituindo, assim, uma ditadura. Era tudo mentira, no entanto. Bolsonaro apenas iludiu seus seguidores.

Diante do açulamento de caminhoneiros bolsonaristas e representantes do “agro”, Alexandre de Moraes proibiu Sergio Reis de se aproximar da Praça dos Três Poderes, em Brasília, na manifestação de 7 de Setembro.

Sergio Reis, 81 anos, se sentiu abandonado no embate com o ministro do STF e teve uma crise de choro. Ele não foi à manifestação de 7 de Setembro na Avenida Paulista, em São Paulo, onde mora, como se cogitou, ou no Distrito Federal, devido à proibição.

Leia também

Sergio Moro vem aí e Pazuello lá, autoriza o novo Código Eleitoral aprovado pela Câmara

Estados Unidos lembram os 20 anos dos ataques de 11 de setembro às Torres Gêmeas no World Trade Center

Cartinha de Temer para Dilma, em 2015, motivo de chacota, foi o marco do golpe de Estado no ano seguinte