De olho em São Paulo, PSOL sinaliza apoio à candidatura de Lula para presidente em 2022

De olho em São Paulo, PSOL sinaliza apoio à candidatura de Lula para presidente em 2022

O PSOL quer eleger Guilherme Boulos governador de São Paulo, por isso o partido decidiu não apresentar uma pré-candidatura à Presidência da República. É uma sinalização explícita a favor de Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, na corrida pelo Palácio do Planalto.

No fim de semana, enquanto o PSOL realizava seu 7° Congresso Nacional, Lula lançava Fernando Haddad como candidato ao Palácio dos Bandeirantes durante encontro com movimentos de periferia em São Paulo. Mais isso não impediu os psolistas de sugerir tacitamente o recuo do ex-prefeito a favor de seu candidato. Em troca do apoio a Lula, o PSOL espera a contrapartida do apoio a Boulos.

Para o PSOL, que reelegeu o historiador e cientista política Juliano Medeiros como presidente, a prioridade é construir o de uma frente eleitoral das esquerdas no plano nacional em 2022. Também foi estabelecida como urgente a luta pelo impeachment imediato de Jair Bolsonaro.

O PSOL ainda decidiu convocar para o primeiro semestre do ano que vem uma Conferência Eleitoral Extraordinária para tomar as decisões finais sobre a tática eleitoral do partido, políticas de alianças, distribuição de fundo partidário, regulamentação de candidaturas coletivas, entre outros. É nesse evento, se o PT apoiar Boulos, que o PSOL pretende anunciar Lula.

Além disso, o Congresso do PSOL apontou como prioridade máxima a luta pelo impeachment imediato de Jair Bolsonaro.

“Não estamos entre aqueles que aceitam esperar as eleições de 2022 para livrar o Brasil de Bolsonaro. Por isso, devemos manter uma dinâmica de mobilização nas ruas e resistências que não deixe Bolsonaro chegar politicamente vivo nas eleições”, diz a resolução aprovada pela maioria dos delegados.

A campanha Fora Bolsonaro e a Frente Povo Sem Medo, são os espaços principais de articulação e mobilização para a militância do PSOL, que construirá mobilizações com qualquer setor que aceite ir às ruas com o objetivo de derrubar o governo Bolsonaro.

No sábado, dia 2 de outubro, o PSOL promete força total pela campanha do Fora Bolsonaro, impeachment já!

Guilherme Boulos confirmou presença na Avenida Paulista, em São Paulo, na manifestação do fim de semana. Lula e Haddad também são esperados no asfalto.

Leia também

Bolsonaro define slogan para 2022: ‘Nada não está tão ruim que não possa piorar’

URGENTE: Congresso derruba veto de Bolsonaro sobre criação da federação partidária

É proibido despejo durante a pandemia, confirma o Congresso Nacional