Bolsonaro derrotado: Comissão especial rejeita, por 23 a 11, o voto impresso obrigatório

Bolsonaro derrotado: Comissão especial rejeita, por 23 a 11, o voto impresso obrigatório

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sofreu a primeira derrota acerca do voto impresso no Congresso Nacional.

A comissão especial da Câmara dos Deputados sobre a Proposta de Emenda à Constituição PEC 135/19, que torna obrigatório o voto impresso, rejeitou nesta quinta-feira (05/04) o substitutivo apresentado pelo relator, deputado Filipe Barros (PSL-PR). Foram votos 23 contrários ao parecer, ante 11 votos favoráveis.

Por indicação do presidente da comissão especial, deputado Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), o parecer vencedor será elaborado pelo deputado Júnior Mano (PL-CE) e deverá ser apreciado em nova reunião do colegiado nesta sexta-feira (6), às 18 horas.

“Infelizmente o parecer do relator Filipe Barros não foi aprovado pela comissão. Agradeço a todas as pessoas que acompanharam o trabalho e apoiaram. Mais batalhas virão”, disse Martins.

Apesar da goleada, 23 votos a 11, a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) alertou que a base bolsonarista ainda tenta manobrar apesar da decisão de hoje e quer levar a votação pro plenário. “Resistiremos!”, prometeu a presidenta nacional do PT.

Leia também
Em nota, CPI da Pandemia apoia Fux e se solidariza com ministros atacados por Bolsonaro

Fux cancela reunião de poderes que era para apaziguar com Bolsonaro

Cada vez menos candidato, Bolsonaro ameaça Moraes dizendo que ‘a hora dele vai chegar’

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou hoje mais cedo que a PEC do voto impresso poderá ser avocada pelo Plenário, mesmo depois da derrota no colegiado. “Comissões especiais não são terminativas, são opinativas, então sugerem o texto, mas qualquer recurso ao Plenário pode ser feito”, explicou.

O líder da Frente Povo Sem Medo, Guilherme Boulos (PSOL), disse que a proposta do presidente golpista foi derrotada na primeira batalha. “Agora é no plenário.”

“Não Bolsonaro ameaçar”, afirmou o deputado Enio Verri (PT-PR). “As eleições acontecerão e ele vai ser derrotado nas urnas de forma democrática!”

O ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), escreveu no Twitter: “Vida que segue. A obsessão esotérica do Bolsonaro foi enterrada hoje pelo processo democrático.”