Bolsonaro internado no Hospital das Forças Armadas em Brasília

‘Desejamos rápida recuperação a Bolsonaro para enfrentar novas manifestações pelo impeachment’

Há uma torcida na situação e na oposição pelo rápido restabelecimento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que, nesta quarta-feira (14/7), foi internado no Hospital das Forças Armadas em Brasília. Não se sabe ao certo os motivos da internação, obscuridade que acompanha o prontuário médico do mandatário.

A ex-senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) disse que torce pela recuperação rápida de Bolsonaro para que ele enfrente novas manifestações pelo impeachment. O presidente marcou uma motociata no dia, 17, em Manaus. A capital amazonense sofreu com a falta de oxigênio no momento mais agudo da pandemia, lembrou a ex-parlamentar vermelha.

“O exército não vai dar golpe para defender ladrão. O Brasil precisa se livrar de Bolsonaro e do Mourão, não pela morte”, disse o ex-senador Roberto Requião (MDB-PR), ao criticar a “frente ampla” com o mercado contra um suposto golpe militar.

“Imagine se esse cirurgião, numa felicidade, arrancasse o capeta de dentro de Bolsonaro”, ironizou Requião, que participou de uma live com Vanessa e Lindbergh Farias (PT-RJ).

Outros, como os integrantes da CPI, desejam o pronto restabelecimento do presidente da República para que ele [Bolsonaro] responda pelos mais de 530 mil mortes na pandemia.

Leia também

Bolsonaro “está bem”, jura ministro da Casa Civil

O ministro-chefe da Casa Civil, general Luiz Ramos, que não é médico, afirmou pelo Twitter que o estado do presidente é bom.

“Graças a Deus, nosso Presidente está bem. Ele vai ficar apenas em observação depois de alguns exames. Agradeço o carinho dos brasileiros e me junto a eles nas frequentes orações por @jairbolsonaro. Força, Presidente! Nosso Brasil precisa e muito da sua coragem e liderança!”, escreveu o ministro.

Até agora, oficialmente, Hospital das Forças Armadas e Presidência da República não emitiram comunicado sobre o motivo do internamento e o real estado de saúde de Jair Bolsonaro.

Resumo da ópera: Bolsonaro está bem, mas amputação de pênis ainda preocupa presidente.