Aldo Rebelo condenou a vandalização da estátua de Borba Gato em SP

Aldo Rebelo condena filhinhos de papai de “esquerda” e de “direita” por fogo em Borba Gato

O ex-ministro Aldo Rebelo condenou filhinhos de papai de “esquerda” e de “direita” por atearem fogo na estátua de Borba Gato, neste sábado (24/7), nas manifestações pelo Fora Bolsonaro e impeachment do presidente da República.

Aldo vê na vandalização provocada por filhinhos de papai, de “esquerda” e de “direita”, que lembra o movimento “Não Vai Ter Copa”, em 2013, que culminou com o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff (PT) e na prisão do ex-presidente Lula.

Segundo Aldo, assim como dantes, há cumplicidade da mídia numa guerra híbrida contra o Brasil.

“É como o movimento não vai ter copa: filhinhos de papai de “esquerda” e de “direita” tocavam o terror nas ruas, vandalizavam, com a cumplicidade da mídia. Era a guerra híbrida contra o Brasil”, disse Aldo.

Leia também

A estátua incinerada é em homenagem ao bandeirante e escravizador do Brasil Colônia, Borba Gato, localizada na Praça Augusto Tortorelo de Araújo, no bairro de Santo Amaro, em São Paulo. Borba Gato foi um algoz de índios e negros.

Recentemente, Aldo Rebelo lançou o livro “O Quinto Movimento“, que propõe uma reflexão sobre o futuro do Brasil em um cenário pós pandêmico. No obra, o ex-ministro afirma que o Brasil precisa se unir em torno de três eixos fundamentais:

1- o desenvolvimento econômico,
2- a redução das desigualdades; e
3- a manutenção do país em certos padrões de democracia.

Quem é Aldo Rebelo

Aldo Rebelo foi ministro de Relações Institucionais (2004-2005), do Esporte (2011-2014), da Ciência, Tecnologia e Inovação (2015) e da Defesa (2015-2016). Presidiu a Câmara (2005-2007). Na época de estudante, foi o presidente da reorganização da UNE (União Nacional dos Estudantes), em 1980.

Veja a estátua de Borba Gato arder no fogo [vídeo]