jurema werneck

‘Pandemia provocou 305 mil mortes acima do esperado’, diz Jurema Werneck na CPI da Covid

A médica Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil e representante do Movimento Alerta, disse hoje (24/6) na CPI da Covid que a pandemia provocou 305 mil mortes acima do esperado e que, se medidas fossem adotadas, a contaminação seria reduzida em 40% e 120 mil vidas seriam salvas.

Em seu depoimento, Werneck disse que 20 mil pessoas morreram em unidades pré-hospitalares e ela revelou mostrando gráficos o caráter racista da pandemia.

“A maioria dos mortos são negros e negras”, disse, enquanto “os mais ricos e escolarizados foram muito mais testados.”

A depoente afirmou que em 2019 sabia-se do aumento do desemprego, da insegurança alimentar e da precaridade do trabalho informal e que, quando chega a pandemia, governo não fez políticas públicas para enfrentar essa situação.

Leia também

Jurema Werneck disse ainda que não há justificativa para insistir no erro e não corrigir a rota no enfrentamento à pandemia, mesmo com mais de 500 mil mortes pela doença.

Para a executiva do Movimento Alerta, faltaram muitas coisas na pandemia. “Faltou comunicação, mas faltou uma liderança nacional firme, com uma mensagem de confiança, de união para salvar vidas.”

“É preciso reforçar a confiança da população, distribuir máscaras de qualidade, no Rio as pessoas nos ônibus lotados usam as mesmas máscaras compradas há um ano”, recomendou.

“O que poderia ser feito para reduzir a contaminação? Testagem, rastreamento e medidas não farmacológicas”, disse Jurema Werneck.

CPI da Covid ao vivo

A CPI da Covid ouve nesta quinta-feira (24/6) a diretora-executiva da Anistia Internacional e coordenadora do Movimento Alerta, Jurema Werneck. Também será ouvido o epidemiologista, pesquisador e professor da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), Pedro Hallal. Acompanhe ao vivo pelo Blog do Esmael.