ricardo lewandowski stf

Lewandowski, no ataque, pede informações a Bolsonaro sobre a Copa América no Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, determinou que Bolsonaro se pronuncie sobre por que quer fazer a Copa América no Brasil.

O magistrado é relator de uma ação do PT e do PSB, que pedem para a corte máxima barrar a realização da Copa América no Brasil. O torneio de futebol está previsto para começar em 13 de junho.

Lewandowski considera “a importância da matéria e a emergência de saúde pública decorrente do surto do coronavírus, bem como a urgência que o caso requer”.

O país foi escolhido como sede após as desistências de Argentina e Colômbia, que argumentaram que a situação atual da pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavúus, não permite a realização do campeonato. No caso colombiano, também há problemas de cunho social.

“Como se a situação já não fosse calamitosa o suficiente, diversos especialistas vêm alertando para uma terceira onda da pandemia no Brasil já em junho, mês em que o governo federal pretende hospedar a Copa América no país”, destaca Rafael Carneiro, advogado do PSB na ação.

O PT foi na mesma linha de raciocínio e frisou que as partidas significam risco à saúde pública. O PT anexou à ação depoimentos de diversos especialistas em saúde pública que reagiram negativamente à realização do Copa América no país.

Eles argumentam que o ingresso e o trânsito interno no país de milhares de pessoas envolvidas na competição agravará os riscos de disseminação de novas cepas do coronavírus.

Leia também

Responsabilidade

A ação pede liminarmente a interrupção de qualquer ato sobre a Copa América que venha a ser firmado entre a Conmebol e o governo federal.

O PT requer a intimação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), dos ministros da Casa Civil, Saúde, Relações Exteriores e do secretário Nacional de Esporte, citados em comunicado oficial da Conmebol como responsáveis pela autorização do campeonato em território brasileiro.

“Mesmo em face do precário avanço do Brasil no enfrentamento ao vírus, sobretudo quanto à vacinação da população brasileira, o Governo Federal, nesta segunda-feira (31/5), tomou decisão que desrespeita qualquer preceito de segurança sanitária ou protocolo de proteção recomendado pelas autoridades sanitárias mundiais”, frisa a ação petista.

Casos de Covid-19

Ao todo, o Brasil registrou 16,5 milhões de casos de Covid-19. Desde o início da pandemia, 463 mil pessoas morreram em decorrência da doença. O Ministério da Saúde aplicou 67 milhões de doses da vacina, entre primeira e segunda aplicações.

Ao anunciar o Brasil como país sede, a Conmebol revelou que negociou com o governo brasileiro a realização do campeonato.

“O melhor futebol do mundo trará alegria e paixão a milhões de sul-americanos. A Conmebol agradece ao presidente Jair Bolsonaro e sua equipe, bem como a Confederação Brasileira de Futebol, por abrir as portas daquele país ao que é hoje o evento esportivo mais seguro do mundo. A América do Sul vai brilhar no Brasil com todas as suas estrelas!”, diz postagem no Twitter da entidade.

A escolha do Brasil como sede das partidas gerou críticas de políticos, pesquisadores e médicos. O avanço da Covid-19 é a principal preocupação.

Com informações do Brasil 247 e do Metrópoles, sites parceiros do Blog do Esmael.