carlos bolsonaro, o carluxo

CPI da Covid quer chegar a Carluxo, filho de Bolsonaro, suposto coordenador do gabinete paralelo

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), o Carluxo, filho do presidente da República, é o objetivo estratégico da CPI da Covid no Senado –embora os integrantes da comissão de inquérito não pensem convocá-lo imediatamente para depor.

O filho do presidente Jair Bolsonaro deverá ser arrolado somente na reta final da CPI, pois há um método nas convocações que obedece ao “time” político dos membros do colegiado.

Antes Carluxo, porém, a comissão de investigação pretende convocar o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) e o médico Paolo Zanotto.

Os requerimentos convocando Terra e Zanotto foram apresentados pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), motivados pelo vídeo divulgado pela imprensa que mostraria reunião de um suposto “gabinete paralelo” ao Ministério da Saúde, cujo objetivo seria aconselhar o presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia.

Leia também

Segundo Randolfe, o vídeo seria “a prova definitiva da existência do gabinete paralelo” no Ministério da Saúde.

No vídeo divulgado pelo site de notícias Metrópoles aparecem o virologista Paolo Zanotto, a médica Nise Yamaguchi, o deputado federal Osmar Terra (ex-ministro da Cidadania no governo Bolsonaro) e o próprio Jair Bolsonaro. Osmar Terra é chamado pelo presidente de “padrinho” e “assessor”. No vídeo, há falas de ressalva ao uso da vacina e de defesa da hidroxicloroquina. Os participantes da reunião não usavam máscaras.

Por conta do surgimento desse vídeo, os membros titulares da CPI da Covid estudam relativizar a ideia de reconvocar o ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, para focar na investigação do chamado “gabinete paralelo”.

De acordo com os senadores, era o “gabinete paralelo” que decidia questões como compra de vacina –ou não–, bem como o estímulo do tratamento precoce com medicamentos ineficazes.