renan calheiros cpi covid senado

Renan Calheiros: ‘Ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro’

O ponto alto da participação do senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, na live do Grupo Prerrogativas, no sábado (8/5), foi a declamação por ele do trecho ‘Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro’ da música “Sujeito de Sorte”, de Belchior, relançada recentemete pelo cantor Emicida (AmarElo).

A Folha deste domingo (9/5) registra que o parlamentar das Alagoas tem sete vidas, ao relatar que o emedebista esteve no olho do furacão em diversos escândalos, acusações de corrupção, e confusões com partidos e políticos.

O próprio Renan admitiu na live de sábado que, por algum tempo, ficou submergido e que agora assumiu maior protagonismo e está no ataque. “Não ressurgi, eu estava submergido; ainda tenho seis anos de mandato como Senador”, disse.

Leia também

Renan Calheiros participou de todos os eventos políticos importantes no Brasil desde os anos de 1990, que consistem no impeachment de Collor de Mello; ministro no governo FHC; presidência do Senado durante o governo Lula; impeachment de Dilma Rousseff; e agora na CPI da Covid, que investiga a omissão do governo Jair Bolsonaro que resultaram [até agora] em 421 mil mortes por covid19.

“Se no ano passado eu morri, esse ano eu não morro; esse ano eu não morro”, declarou o relator da CPI da Covid.

O criminalista Kakay disse que o povo brasileiro precisa resistir, não morrer. “Não dá para morrer no ano passado e morrer nesse ano de novo”, afirmou o advogado, que também participou da live.

Assista ao vídeo da prerrogativa: