sergio moro e luciano huck

Luciano Huck sofre “bullying” nas redes sociais por ter apoiado Bolsonaro

‘Eu sei o que você fez no verão passado’, zombam as redes sociais neste sábado (8/5) ao se referirem ao apresentador Luciano Huck (Globo). Ele sonha em candidatar-se e derrotar Jair Bolsonaro, de quem foi eleitor na eleição de 2018.

Dizendo-se arrependido e de “esquerda”, Huck virou motivo de chacota. Ele sofre “bullying” de militantes da esquerda e da extrema direita, qual seja, os bolsonaristas não admitem defecções e os canhotos não fazem questão do global –até porque os progressistas apostam em Lula ou em Haddad nas eleições de 2022.

No Caldeirão do Huck, seu programa na TV Globo, Luciano Huck disse que “se o Brasil tivesse levado a sério a pandemia desde o começo…” Aí a turma do contra arrepiou lembrando que ele puxou o infame grito de guerra “Dilma, vai tomar no cu” e fez campanha anti-PT para facilitar a vitória de Bolsonaro.

Leia também

“Infelizmente Luciano Huck errou em apoiar o Bolsonaro e a consequência veio com mais 400 mil mortes por covid-19 e dentro dela o amigo dele, Paulo Gustavo“, lamentou uma internauta.

Outro navegante disse que “Assim como o Luciano Huck eu apoiei o Bolsonaro em 2018 e me arrependi”.

Ainda sobre Paulo Gustavo, o ator morto por covid, os internautas avaliaram linda a homenagem. “Ele [Huck] só esquece que fez campanha e apoiou o Bolsonaro em 2018 porque não queria que o PT ganhasse. Luciano Huck também tem sangue nas mãos.”

Luciano Huck é pré-candidato a presidente em 2022. Ele está entre os últimos nas pesquisas de opinião, para a felicidade do Brasil.