eduardo leite e joao doria

Governador Eduardo Leite, do RS, patina na disputa presidencial, segundo a Paraná Pesquisas

Nem em casa o governador gaúcho Eduardo Leite (PSDB) consegue liderar a disputa pela Presidência da República de 2022.

Segundo a Paraná Pesquisas, o governador ficaria em terceiro lugar no RS se concorresse ao Palácio do Planalto atrás do presidente Jair Bolsonaro e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Bolsonaro lidera no estado sulista com 30%, seguido de Lula, com 24,9%, e Leite, com 11,7%.

O governador do PSDB tem desempenho sofrível para presidente, mas, de acordo com a sondagem, está na dianteira com 24,9% pela reeleição ao Palácio Piratini.

O bolsonaristas Onyx Lorenzoni (DEM), ministro da Cidadania, está em segundo lugar com 17,7% pelo governo do RS.

Leia também

“Síndrome Doria”

Com a “Síndrome de Doria”, isto é, com péssima reputação no Rio Grande do Sul, Leite tende concorrer à reeleição no ano que vem –embora negue veementemente.

“Não sou candidato à reeleição e cumprirei minha palavra para que meu sucessor tenha espaço para tomar decisões e sem a premência de buscar dinheiro imediatamente para cumprir pagamentos”, despistou semana passada o governador do PSDB gaúcho.

A lembrança do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), é porque ele é mal avaliado local e nacionalmente. Porém, o “Calcinha Apertada” não tem chance de reeleição.

Com o objetivo de “pendurar a chuteira”, deixar a política por cima, Doria pretende disputar a Presidência da República. No entanto, ele terá de ganhar a convenção de Leite no ninho tucano.

A Paraná Pesquisa entrevistou 1.552 eleitores no Rio Grande do Sul, através de entrevistas pessoais telefônicas, não robotizadas, entre os dias 15 e 19 de maio de 2021. A margem de erro é de 2,5% para mais ou para menos.

Clique aqui para ler a íntegra do levantamento da PR Pesquisas