bolsonaro mata atlântica

Bolsonaro mata, Coxa preserva

  • Time do Alto da Glória quer fazer um gol com a preservação ambiental
  • Grande Reserva Mata Atlântica e Coritiba Foot Ball Club firmam parceria para estimular proteção do maior remanescente contínuo de Mata Atlântica no mundo
  • Coxa é o novo apoiador da Grande Reserva. Parceria vai ser anunciada em jogo de estreia do clube no Campeonato Brasileiro de 2021, na tarde próximo sábado (29), em Curitiba

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro e seu ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, são investigados pelo desmatamento e destruição de florestas, o Coxa promete preservar a Mata Atlântica.

A Grande Reserva Mata Atlântica, que abrange o maior remanescente contínuo dessa floresta tropical no mundo, conta com um novo apoiador institucional: o Coritiba Foot Ball Club.

O clube vai anunciar a novidade de forma pública e oficial no próximo sábado, dia 29, a partir das 18h, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba, em sua estreia no Campeonato Brasileiro de 2021, no jogo contra o Avaí.

A parceria entre o Coritiba e a Grande Reserva Mata Atlântica busca fortalecer ainda mais a proteção de um território, que conta com 2,2 milhões de hectares de floresta tropical contínua (o equivalente a pouco mais de 2 milhões de estádios de futebol) com uma enorme e diversa vida selvagem, montanhas, cavernas, cachoeiras, baías, manguezais e praias do oceano Atlântico.

A união entre o clube e a Grande Reserva também promete estimular o turismo responsável e favorecer o desenvolvimento socioeconômico local, protegendo e respeitando o meio ambiente e a conservação da biodiversidade.

“Essa foi a forma de traduzirmos o verde do nosso escudo em uma ação voltada à proteção da natureza, que é um patrimônio de todos a ser cuidado e zelado. A partir de agora, outros projetos voltados ao fortalecimento da Grande Reserva Mata Atlântica serão realizados pelo Coritiba, envolvendo torcedores, sócios, atletas do plantel profissional e das categorias de base”, explicou o presidente do Coritiba, Renato Follador.

Leia também

coxa mata atlantica
Enquanto Bolsonaro mata, o Coxa preserva

De acordo com o primeiro vice-presidente do clube, Juarez Moraes e Silva a gestão atual tem ampla preocupação com o processo da gestão ambiental e enxerga a nova parceria como o “ponta pé inicial” para a consolidação e o fortalecimento de uma maior responsabilidade ambiental por parte do clube. “É um processo lento, mas que a médio e longo prazos nos trará satisfação enquanto instituição”, complementou.

Para Ricardo Aguiar Borges, um dos coordenadores da iniciativa, a Grande Reserva Mata Atlântica é um esforço construído a muitas mãos. “Todos os apoiadores reconhecem a importância da conservação da natureza para suas atividades e para a sociedade como um todo”, diz ele. Ricardo lembra que a combinação de riquezas culturais e de natureza com áreas densamente povoadas da Grande Reserva oferece a rara oportunidade de usufruir de paisagens únicas a partir de atividades turísticas sustentáveis e responsáveis.

“Ao mesmo tempo em que esse território abriga cidades coloniais das mais antigas do Brasil, além de comunidades tradicionais e indígenas, está muito próximo de dois dos maiores centros urbanos do país – São Paulo e Curitiba – além da maior cidade de Santa Catarina, que é Joinville”, explica.

Com a parceria entre a Grande Reserva e o Coritiba, a sociedade passa a ser ainda mais estimulada a vivenciar experiências únicas em locais próximos à capital paranaense e, assim, contribuir para o fortalecimento do turismo ecológico responsável. “São atividades de ecoturismo, gastronomia para todos os gostos e bolsos, entre outras, que podem ser realizadas, favorecendo a economia de municípios e comunidades que preservam essa grande e importante porção de natureza bem preservada”, conclui Ricardo.