protesto curitiba fora bolsonaro

Bolsonaristas partem para o negacionismo para minimizar manifestação pelo impeachment

Não basta negar que mortes estão ocorrendo por causa do vírus e lançar dúvidas sobre a eficácia da vacina. Os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro também adotaram o negacionismo como método de enfrentamento [ideológico] das manifestações pelo impeachment ocorridas neste sábado (29/5).

Para confundir distraídos e tentar manter sua moral elevada, os bolsonaristas agora negam o sucesso do movimento Fora Bolsonaro em mais de 300 cidades do Brasil e do mundo.

Segundo os organizadores, mais de 100 mil pessoas foram à Avenida Paulista pelo impeachment enquanto 80 mil saíram nas ruas do Rio de Janeiro; 75 mil em Belo Horizonte; 20 mil compareceram em frente à UFPR, em Curitiba; Brasília, Belém, Recife, Salvador, Fortaleza, Manaus, Florianópolis, Porto Alegre, dentre outras capitais e cidades importante igualmente fizeram bonito no asfalto.

Os bolsonaristas criaram a narrativa segunda qual a oposição usou imagens de 2016 para inflar o público que participou nos protestos deste sábado. Evidentemente, são mais fake news do gabinete do ódio.

As manifestações de ontem foram transmitidas ao vivo pelas redes sociais, com uso de drones, mostrando o tamanho gigante das manifestações em todo o país. Além disso, as imagens deixaram claro as bandeiras atuais como vacina, auxílio emergencial e repúdio à cloroquina –temas quentes de 2021, que não existiam na época de Dilma Rousseff na Presidência.

Leia também

O interessante que parte da velha mídia corporativa embarcou nesse negacionismo.

O fato é que Bolsonaro se assustou com a primeira manifestação de rua desde o início da pandemia. Até agora, o presidente vinha governando sozinho por causa da política do “fique em casa” da esquerda. Era o mandatário quem vinha ditando o ritmo nas ruas, mas, pelo visto, a coisa virou no Brasil.

“Impressionantes as manifestações contra o Bolsonaro nas ruas do Brasil. Não apoiei por ver nisso um aspecto, negacionista em relação ao covid. Mas ocorreram e o BRASIL gritou contra Bolsonaro! Brasil virou!”, escreveu no Twitter Roberto Requião, pré-candidato do MDB ao governo do Paraná.