vacinacao parou

Vacinação contra a Covid: por que parou? Parou por quê?

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), recentemente, lançou o programa de vacinação “Domingo a Domingo”. Ele foi ao município de Londrina, Norte do estado, para essa “ousada” ação. Detalhe: faltam os imunizantes desde então.

Ação de vacinação de Ratinho não passou de mais uma ação de marketing, de curta duração, que desmoraliza o governo porque foi mentirosa.

Em Curitiba, por exemplo, faz alguns dias que a vacinação de primeira dose parou. Se andou alguma coisa foi em passo de tartaruga. O insumo que tinha disponível era para a segunda dose. Novo imunizante não havia ao longo desta semana.

A capital paranaense não terá vacinação nesta quarta-feira, oficialmente por conta do feriado. Extraoficialmente é porque não tem vacinas.

Brasil teve 3.472 mortes nas últimas 24 horas e acumula 381.475 óbitos na pandemia

Segundo o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), o Brasil teve 3.472 óbitos por covid nas últimas 24 horas e acumula 381.475 vidas perdidas na pandemia.

Confira o boletim divulgado nesta quarta-feira:

Data: 21/04/2021, 18h

Casos
• 79.719 no último período.
• 14.122.795 acumulados.

Óbitos
• 3.472 no último período
• 381.475 óbitos acumulados.

Leia também

Fiocruz vai entregar 5 milhões de doses da vacina na sexta

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou hoje (21) que vai entregar, na próxima sexta-feira (23), 5 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca contra covid-19 produzidas pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos). A quantidade supera a previsão inicial para esta semana em 300 mil doses.

Por questões logísticas relacionadas à distribuição das vacinas, a Fiocruz passará a liberar os lotes para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) sempre às sextas-feiras. Segundo a fundação, a decisão foi tomada em conjunto com o Ministério da Saúde, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Na semana passada, Bio-Manguinhos também liberou 5 milhões de doses, porém em duas remessas, na quarta-feira e na sexta-feira. Para a semana que vem, o cronograma prevê mais 6,7 milhões de doses, o que fará com que a fundação entregue mais de 18 milhões de doses no mês de abril.

Para os próximos meses, a programação é que as entregas cresçam em volume e cheguem a 21,5 milhões, em maio; 34,2 milhões, em junho; e 22 milhões, em julho. Desse modo, a fundação cumprirá a meta de produzir 100,4 milhões de doses a partir do ingrediente farmacêutico ativo (IFA) importado, conforme acordo de encomenda tecnológica firmado com a farmacêutica AstraZeneca. No segundo semestre, a Fiocruz prevê produzir 110 milhões de doses com IFA fabricado no Brasil.

Já foram entregues ao Programa Nacional de Imunizações 14,8 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, sendo 10,8 milhões produzidas por Bio-Manguinhos. As outras quatro milhões foram importadas prontas da Índia nos meses de janeiro e fevereiro.