Ratinho perdeu 15 milhões de doses de vacina Sputnik V, diz Frente Parlamentar de Combate à Covid

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), fez a escolha pelo presidente Jair Bolsonaro em detrimento dos interesses do estado ao, pela omissão, perder a chance de comprar até 15 milhões de doses da vacina Sputnik V do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI).

“O Paraná perdeu a chance de adquirir 5 mi de doses da vacina Sputnik V, com o Fundo Russo. Sendo que eram 13 mi há 15 dias”, disse o deputado Arilson Chiorato, da Frente Parlamentar de Combate à Covid-19, na Assembleia Legislativa do Paraná (ALE). Há duas semanas parlamentares petistas facilitaram a interlocução com o Consórcio do Nordeste para o estado comprar os imunizantes.

“Por politicagem, o governador Ratinho Junior não respondeu até agora o Consórcio Nordeste”, disse o deputado, que preside o PT no Paraná. “Irresponsabilidade total”, completou.

Ratinho enrolou os deputados

O Governo do Paraná havia anunciado na segunda-feira (29/3) que já tinha contrato assinado com o Instituto Gamaleya para a aquisição do imunizante. A informação fora repassada ao deputado Michele Caputo (PSDB), coordenador da Frente Parlamentar do Coronavírus da Assembleia Legislativa do Paraná, após ouvir o secretário Chefe da Casa Civil, Guto Silva.

Os recursos para aquisição do imunizante já estariam garantidos. Em agosto de 2020, a Assembleia Legislativa do Paraná repassou R$ 100 milhões ao Governo para a compra de vacinas.

“É uma excelente notícia, que mostra que o Governo do Paraná está empenhado para acelerar a vacinação. Uma decisão acertada do governador Ratinho Junior, tendo em vista a escassez de vacinas disponíveis para imunizar tanto a população paranaense quando do restante do país”, explicou no começo da semana Caputo aos colegas da Frente Parlamentar de Combate à Covid-19.

LEIA TAMBÉM
Ratinho Junior lançou uma campanha de vacinação com a seringa vazia, diz deputado do PT

87% dos prefeitos do Paraná não confiam em Ratinho e Bolsonaro

Por que Bolsonaro não reabre a fábrica de oxigênio hospitalar da Fafen-PR?

O Consórcio do Nordeste havia facilitado a compra da vacina pelo Paraná, no entanto, ao que tudo indica, o governador Ratinho Junior preferiu a posição fundamentalista de Bolsonaro contrária à Sputnik V.

Se tivessem sido adquiridas, as doses de vacina seriam incorporadas ao Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde –a exemplo do que fez o governo de São Paulo com a chinesa Coronavac.

Governador do PR pode repetir preferência por Bolsonaro no caso do pedágio

No que pese o trabalho dos deputados que atuam na Frente Parlamentar sobre o Pedágio, criada pela ALEP, a tendência é o governador Ratinho Junior repetir o gesto e preferir o modelo de concessão defendido por Bolsonaro.

Nesta quinta-feira (1º/4), o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro secretário da ALEP, participou de uma reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para debater a proposta da União para a futura concessão de rodovias no Paraná. O parlamentar sustentou que o modelo elaborado pelo Governo Federal não é de interesse dos paranaenses e defendeu a licitação pelo menor preço.

No entanto, o silêncio do governador Ratinho sobre o tema –a exemplo da mudez na questão da compra da vacina Sputnik V– revela que o inquilino do Palácio do Iguaçu tende a agir como “Judas” novamente –contrariando as 10 audiências públicas da Frente, que ouviu lideranças políticas e empresariais em todas as regiões do Paraná e os parlamentares.

“Nós não queremos o modelo híbrido. Queremos uma licitação pelo menor preço de tarifa”, reafirma Romanelli. Segundo ele, está evidente que a concessão que querem impor não interessa ao Paraná.

Resumo da ópera: Ratinho é Bolsonaro e vice-versa.