Ministro Gilmar Mendes, do STF, deve mandar “rezar em casa” durante a pandemia

A despeito da liminar que liberou cultos e missas o fim de semana, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deverá mandar nesta segunda-feira (5/5) fiéis e devotos rezarem em casa durante a pandemia.

O ministro irá julgar uma ação do Partido Social Democrático (PSD), que contesta o decreto do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que veta aglomerações no estado nesse período especial.

No feriado da Páscoa, o ministro Nunes Marques concedeu liminar liberando a realização de cultos e missas e proibindo estados e municípios de suspenderam cerimônias religiosas no Brasil.

Leia também

Numa enquete realizada pelo Blog do Esmael, durante o feriado, 84,5% reprovaram a decisão do ministro bolsonarista Nunes Marques.

No total, o Brasil já perdeu 331.433 vidas para a doença e computou 12.984.956 casos de contaminação desde o início da pandemia.

Na decisão de Gilmar Mendes, além de mandar rezar em casa, o ministro ainda tende a afirmar que a vida é mais importante que o dízimo nessa pandemia.

A pendenga deverá terminar no plenário do STF.