Lula pede no Supremo a ampliação da suspeição de Moro

O ex-juiz Sergio Moro também deve ser suspeito nos casos do sítio de Atibaia (SP) e do Instituto Lula. Este é o novo pedido da defesa do petista no Supremo Tribunal Federal (STF).

Os advogados do ex-presidente Lula pediram ao ministro Gilmar Mendes, presidente da 2ª Turma do STF, que iguale a situação jurídica do caso do tríplex de Guarujá (SP), no qual Moro já foi declarado suspeito, aos processos a que o ex-presidente responde e que envolvem um imóvel que pertenceria ao Instituto Lula e um sítio em Atibaia atribuído ao petista.

“Torna-se imperiosa a extensão da ordem de habeas corpus às demais acusações lançadas contra o paciente [Lula] que estiveram sob a condução enviesada de Sérgio Fernando Moro, decretando-se, por conseguinte, a nulidade de todos os atos pré-processuais e processuais perpetrados em tais feitos”, peticionou nesta quinta-feira (1º de abril) a defesa do ex-presidente.

Os advogados de Lula veem similaridade nos processos conduzidos pelo ex-juiz Sergio Moro.

“Mostra-se impossível dissociar-se a suspeição do ex-juiz federal Sergio Moro— já reconhecida por essa Colenda Segunda Turma desse Supremo Tribunal Federal, das outras duas ações penais”, argumentam.

Como se vê, caro leitor, Lula continua no ataque.

LEIA TAMBÉM
Lula pode impulsionar candidaturas aos governos estaduais em 2022

Lula cobra auxílio emergencial de R$ 600 durante a pandemia; Bolsonaro oferece R$ 150

Em live, Lula humilhou o presidente Bolsonaro. Saiba por quê