bolsonaro queda

Governadores e prefeitos são mais bem avaliados que Bolsonaro na pandemia, diz pesquisa

O presidente Jair Bolsonaro tem pior avaliação que prefeitos e vereadores na gestão da pandemia, diz pesquisa Exame/Ideia divulgada nesta sexta-feira (9/4).

Segundo o levantamento, o trabalho de governadores e, principalmente, de prefeitos são mais bem avaliados pela população do que o do executivo federal.

Na manhã de hoje, como se fosse uma “vingança“, o presidente desafiou o Supremo Tribunal Federal (STF) a investigar supostos desvios de recursos de prefeitos e governadores na pandemia. Bolsonaro não nominou quem estaria cometendo ilícitos.

Em relação à pandemia, enquanto o governo Bolsonaro tem 23% de avaliações ótimo/bom (mesmo número do novo ministro da saúde, Marcelo Queiroga), os governadores somam 29% e os prefeitos, 33%.

Leia também

Do lado das avaliações negativas, os números também confirmam uma melhor avaliação dos governos locais em comparação com o federal. Com 33% de ruim ou péssimo, os prefeitos se posicionam melhor na avaliação da população do que governadores (38%), e o governo Bolsonaro, cujo trabalho em relação à pandemia foi avaliado como ruim/péssimo por 55% dos entrevistados.

Os dados são da mais recente pesquisa Exame/Ideia, projeto que une Exame Invest Pro, braço de análise de investimentos da Exame, e o Ideia, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. O levantamento ouviu 1259 pessoas entre os dias 5 e 7 de abril. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Dentre as regiões do país, Norte e Nordeste são as que melhor avaliam a atuação dos seus prefeitos no enfrentamento da pandemia, com 42% e 36% de ótimo/bom. Já em relação aos governadores, o Centro-Oeste assume a segunda posição (com 34% de avaliações positivas), com o norte se mantendo em primeiro lugar (40% de ótimo/bom), e deixando nordeste em terceiro (32%). Os governadores da região sudeste são os mais mal avaliados, com 42% de ruim/péssimo.

A pesquisa também perguntou aos entrevistados sobre as perspectivas deles em relação à pandemia para este mês de abril. 41% acreditam que não será nem melhor, nem pior, enquanto 32% apostam numa piora da situação sanitária do país. Outros 27% acreditam numa melhora – número que chega a 46% na região norte e 38% na região centro-oeste.