bolsonaro máscara vendando olhos

Falta de estratégia de Bolsonaro contra a Covid-19 é uma ameaça para o mundo, diz imprensa francesa

A gestão da crise sanitária no Brasil está no foco da imprensa francesa desta sexta-feira (9). Os jornais destacam o aumento vertiginoso de mortes pela Covid-19 e a inércia do governo brasileiro diante da epidemia.

O Brasil se transforma em laboratório de variantes a céu aberto e preocupa o mundo” é manchete no jornal Ouest France. O diário destaca que a ausência de medidas coordenadas contra a propagação do coronavírus faz com que o país seja não somente palco de uma tragédia local, mas também de “uma nova ameaça para a situação sanitária mundial”.

LEIA TAMBÉM
Flávio Dino: “Se fosse por Bolsonaro, Brasil já teria 1 milhão de mortos”

Bolsonaro ataca ministro Barroso após ordem do Supremo para instalar CPI da Covid no Senado

Na corda bamba, Bolsonaro quer reabrir caso Adélio para açular torcida

Citado pelo Ouest France, o neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis classifica o Brasil como “uma bomba-relógio”. Segundo ele, com cerca de 100 mil novos casos de Covid-19 por dia, a inação do governo está resultando em mutações importantes do vírus.

Até o momento, 92 cepas foram identificadas e estão em circulação no Brasil. O diário afirma que isso “transforma o país em um gigantesco reservatório de variantes da Covid-19, podendo reinfectar em permanência todo o planeta”.

O jornal Les Echos classifica a gestão da epidemia pelo presidente Jair Bolsonaro como “um desastre absoluto”, denunciado por todas as organizações médicas e científicas do mundo inteiro. O diário lembra a posição do líder da extrema direita brasileira desde o início da crise sanitária, classificando o coronavírus como uma “gripezinha”, ostentando seu posicionamento contra o uso de máscaras e contra as vacinas, minimizando uma tragédia que resulta hoje em mais de 345 mil mortos, em pouco mais de um ano.

“Se a política de Bolsonaro é um pesadelo, a persistência da doença no Brasil preocupa o mundo”, afirma o diário, lembrando que “a luta contra a Covid-19 deve ser feita de forma conjunta, por todos os continentes”.

O jornal conservador Le Figaro traz como manchete: “Bolsonaro em breve sob investigação devido à sua gestão da pandemia”. A matéria afirma que o Senado brasileiro deve começar a avaliar “eventuais omissões” do presidente durante a crise sanitária.

Le Figaro destaca que, desde janeiro, a situação se agrava no Brasil, quando milhares de pessoas morreram no Estado do Amazonas devido à falta de oxigênio nos hospitais. Desde então, a falta de ação do governo vem resultando em recordes diários de mortes. Na quinta-feira (8), foram registrados 4.249 óbitos em um período de 24 horas.

O jornal Libération destaca a média diária de 2.800 óbitos por Covid-19 no Brasil, “um número que cresce todos os dias de forma desesperadora”, diz. A crise está longe do fim: “em seu relatório semanal, a Fiocruz explica que a tendência é que essa situação perdure nas próximas semanas”, conclui Libé.

Por RFI