doria bolsonaro

Doria e Bolsonaro fizeram mal a SP: expectativa de vida da população caiu pela primeira vez desde 1940

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), fizeram –e ainda fazem– muito mal para a população de São Paulo, que, segundo a fundação Seade, a expectativa de vida da população caiu pela primeira vez desde 1940. O retrocesso é de 82 anos, portanto.

De acordo com o levantamento divulgado nesta terça-feira (20/4) pela Seade, a esperança de vida ao nascer no estado foi de 75,4 anos, um ano a menos que em 2019, quando ficou em 76,4.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) informa que, até a noite desta segunda-feira (19/4), 374.682 brasileiros tinham perdido a vida na batalha contra a covid-19. Em São Paulo, são 88.528 mortos na pandemia.

O Brasil é considerado o “cemitério do mundo” enquanto São Paulo é chamado de “cemitério do Brasil” devido à péssima gestão da crise.

Leia também

A Seade, que é uma fundação ligada ao governo do estado de SP, explica que “o rápido aumento dos níveis de mortalidade, com a expansão da pandemia da Covid-19 em todo o território paulista, afetou diretamente os padrões demográficos de longevidade conquistados, resultando em retrocesso ao patamar de vida média observado sete anos atrás, entre 2012 e 2013”.

O demógrafo Carlos Eugenio Ferreira, da Seade, disse que “a esperança de vida desde 1940 para cá sempre aumentou […] Ela teve uma fase em que aumentou pouco, que foi entre 1980 e 2000, foi a fase em que se expandiu a violência, onde se coincidiu Aids com as mortes por agressões, e com os acidentes de transportes, que foram crescendo”.

O fato é que, de 2000 para cá, a mortalidade infantil teve um patamar baixo, à medida que os índices de violência também caíram. Esse período coincidiu com os governos do PT, Lula e Dilma.

Nessa “época de ouro” do petismo para o Brasil, o avanço da esperança de vida tinha sido pequeno, mas consistente e em todas as faixas etárias até 2020 e a pandemia do novo coronavírus.

Além da pandemia, some-se agora, os péssimos gestores Bolsonaro e Doria. O BolsoDoria está fazendo muito mal para o Brasil e São Paulo.