jairinho

Câmara de Vereadores do Rio desliga Dr. Jairinho de Comissão de Justiça

O vereador Jairo Souza Santos Jr., o Dr. Jairinho, suspeito da morte do menino Henry Borel, de 4 anos, foi desligado da Comissão de Justiça e Redação da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. A decisão, do presidente da Casa, Carlo Caiado, foi publicada na edição de hoje (19) do Diário Oficial da Câmara.

A justificativa usada por Caiado para desligar o parlamentar foi a expulsão de Dr. Jairinho dos quadros do Partido Solidariedade (SD). Jairinho foi expulso do SD depois de ter sido preso pela Polícia Civil, há duas semanas, suspeito de matar seu enteado, o menino Henry, no início de março.

LEIA TAMBÉM
Lula distribui 100 toneladas de alimentos enquanto Bolsonaro nega auxílio emergencial de R$ 600

Prefeito de Curitiba tem reprovação aumentada na pandemia, segundo a Paraná Pesquisas

Ciro não conseguiria entrar em Paris, se o 2º turno fosse hoje

Outra suspeita da morte, a mãe da criança, Monique Medeiros, namorada do parlamentar, também foi presa.

Sobre o caso
Jairinho e Monique foram presos pela Polícia Civil do Rio em 8 de abril, 1 mês depois da morte de Henry, acusados de tentar obstruir as investigações em torno do caso.

O menino foi levado a um hospital da capital carioca pelo casal na madrugada de 8 de março, onde foi pronunciado morto.

Um laudo do IML (Instituto Médico Legal) apontou diversas lesões pelo corpo da criança, incluindo uma laceração no fígado, incompatíveis com um acidente doméstico, versão apresentada pelo casal.

Os dois são investigados como possíveis responsáveis pela morte.

Com informações da Agência Brasil e Uol