bolsonaro stf

Bolsonaro ataca ministro Barroso após ordem do Supremo para instalar CPI da Covid no Senado

  • Bolsonaro acusou Barroso de fazer “ativismo judicial” e “politicalha” contra o governo

O presidente Jair Bolsonaro abriu fogo na manhã desta sexta-feira (9/4) contra o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), de quem cobrou “coragem moral” para instalar CPIs contra ministros da corte.

“Falta coragem moral para Barroso e sobra ativismo judicial”, disse o presidente ao pedir para o STF instalar processo de impeachment contra membros do Supremo. “Se você [Barroso] tiver um pingo de moral”, desafiou ao conversar com seguidores em frete ao Palácio da Alvorada, em Brasília.

“Barroso se omite ao não determinar ao Senado a instalação de processos de impeachment contra ministro do Supremo, mesmo a pedido de mais de 3 milhões de brasileiros. Falta-lhe coragem moral e sobra-lhe imprópria militância política”, atacou. “É jogadinha casada entre Barros e bancada da esquerda para desgastar o governo”, acusou.

Leia também

Sem citar nomes, Bolsonaro acusou ainda governadores e prefeitos de desviar bilhões do orçamento durante a pandemia. Devido à fala do presidente, até que se prove contrário, todos os 27 governadores e 5.570 prefeitos brasileiros entraram em suspeição.

Segundo o mandatário, com a CPI, não poderá investigar nenhum governador que porventura tenha desviado recursos federais do combate à pandemia.

De acordo com Bolsonaro, a comissão de investigação que o ministro Barroso ordenou instaurar, de forma monocrática, na verdade, seria para apurar apenas ações do governo federal. E é, de fato.

“Nós conhecemos o teu passado e como você chegou no Tribunal”, ameaçou.

Além de fazer “ativismo judicial”, Bolsonaro ainda acusou Barroso de fazer “politicalha” contra o governo.

Assista ao vídeo: