stf come come

Bate-boca, choro e ranger de dentes: STF declara Moro suspeito e Lula inocente

  • Julgamento parcial: 7 votos a 2 pela suspeição de Sergio Moro
  • STF declara Moro um juiz suspeito
  • Lula inocente e candidato em 2022

Os ministros Luís Roberto Barroso e Edson Fachin, do STF, eram a expressão da derrota do fetiche lavajatista. Eles participaram nesta quinta-feira (22/4) do “funeral” do ex-juiz Sergio Moro, que foi declarado suspeito enquanto o ex-presidente Lula considerado inocente.

No Supremo Tribunal Federal tem dessas coisas: um ganha, outro perde. É reflexo da natureza dúplice da ação.

Dito isso, houve muito bate-boca, choro e ranger de dentes com a liberação de Lula e “prisão” de Moro.

O mais exaltado era o ministro Barroso, que se estranhou com os colegas Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes.

Também houve um rápido entrevero entre Rosa Weber e Marco Aurélio Mello, que tentou passá-la para trás com um pedido de vista –que não prosperou.

Veja como foi a sessão do STF na íntegra [vídeo]

Leia também

Como votaram os ministros do STF

A maioria dos ministros votou pela suspeição do ex-juiz Sergio Moro.

A favor de Lula

  • Gilmar Mendes
  • Alexandre de Moraes
  • Ricardo Lewandowski
  • Dias Toffoli
  • Cármen Lúcia
  • Kassio Nunes Marques
  • Rosa Weber

Contra Lula

  • Edson Fachin (relator)
  • Luís Roberto Barroso

Uma nova sessão foi marcada para a próxima quarta-feira, dia 28, para concluir o julgamento. Faltam votar os ministros Marco Aurélio Mello e Luiz Fux, presidente do STF.