SP e DF restringem com toque de recolher; Bolsonaro vai à loucura

O presidente Jair Bolsonaro foi à loucura nesta quinta-feira (11/3), sobretudo com o toque de recolher em São Paulo, mas ele também ficou furioso com as medidas restritivas adotadas pelo Distrito Federal.

Em alguns estados, a exemplo do Paraná, o governo local deixam de seguir orientações de autoridades sanitárias para agradar o presidente da República. “Pode custar muito caro”, alertou hoje o cientista Lucas Ferrante durante uma coletiva de imprensa na capital paranaense.

O desespero de Bolsonaro tem dois elementos importantes: 1. a entrada do ex-presidente Lula no cenário eleitoral de 2022 2. a pesquisa apontando que a maioria dos brasileiros apoia o lockdown nos estados.

O governador de SP, João Doria (PSDB), desafeto de Bolsonaro, ampliou as restrições e anunciou toque de recolher nessa fase emergencial. A regra limitando a circulação valerá das 20h às 5h, a partir da próxima segunda-feira, dia 15, até 30 de março.

De acordo com o governo paulista, 53 municípios estão com 100% de ocupação de UTI e o estado ultrapassou 87%.

Doria ainda recuou das aulas presenciais antecipando o recesso de escolas da rede estadual entre os dias 15 e 28 de março. Ele ainda proibiu cerimônias religiosas e jogos de futebol, dentre outras atividades que importem aglomerações.

Bolsonaro deu piti, mas é a sociedade brasileira quem precisa se levantar contra o presidente.