Sites bolsonaristas produzem propaganda para desencorajar vacinação

O sucesso da vacinação contra a Covid-19 (e qualquer outra doença) depende do maior alcance possível entre a população, de modo a se garantir uma imunização coletiva. Jogando contra esse sucesso, além da demora na disponibilização das doses, estão militantes antivacinação, que, no caso do coronavírus, calham de ser apoiadores radicais do presidente Jair Bolsonaro.

Sites de apoio ao governo, que já haviam se envolvido na produção de desinformação sobre as vacinas no seu processo de desenvolvimento, investem agora em uma nova tese conspiratória, segundo a qual a vacinação em massa em vez de imunizar a população vai é criar novas e mortais variantes do coronavírus.

Creditada a um cientista europeu chamado Geert Vanden Bossche, a tese já circulou em outros países, sempre sendo desmentida por especialistas e por agências de checagem. No Brasil, o site Boatos.com já identificou a circulação dessa história nas redes e fez uma checagem mostrando que não há valor científico nas conclusões que estão na internet.

LEIA TAMBÉM
Derrotado no STF, Bolsonaro se reúne com governadores nesta quarta-feira

Covid-19: Brasil bate novo recorde com 3.251 mortes em 24h

Mesmo assim, textos sobre esse falso perigo da vacina têm sido propagados por veículos de viés radicalmente governista, como Estudos Nacionais e Crítica Nacional, esse último ligado ao notório empresário bolsonarista Otavio Fakhoury, que é investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no inquérito que apura o financiamento a atos antidemocráticos.

Dos sites, o boato ganha grupos de WhatsApp de apoiadores de Bolsonaro. A divulgação da desinformação ganhou força com uma postagem, em seu canal do Telegram, do principal guru desse bolsonarismo radical, o escritor Olavo de Carvalho. Sem se comprometer com a veracidade da informação, Carvalho divulgou na segunda-feira (22/3) o material negacionista. Veja:

Leia a íntegra da reportagem no site Metrópoles, parceiro do Blog do Esmael