Segundo o Datafolha, Bolsonaro tem reprovação recorde na pandemia

O Datafolha afirma que 54% dos brasileiros reprovam a atuação do presidente Jair Bolsonaro na pandemia. Segundo o instituto, é o pior momento do mandatário desde a confirmação do primeiro caso da doença no país, em fevereiro do ano passo.

No total, o Brasil já perdeu 282.127 vidas para a doença e computou 11.603.535 casos de contaminação. Os dados são do mais recente balanço divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

A reprovação recorde levou Bolsonaro a tentar um cavalo de pau no Ministério da Saúde substituindo o general Eduardo Pazuello pelo médico cardiologista Marcelo Queiroga. No entanto, o combate ao vírus precisa mais do que um nome: é preciso uma política sanitária adequada, vacinação em massa, lockdown, auxílio emergencial decente.

O Datafolha traz mais um número preocupante para o sonho de reeleição de Bolsonaro: 43% dos entrevistados apontam o presidente como o principal culpado pelas mais de 280 mil mortes por covid; os governadores são lembrados por 17% e os prefeitos por 9%.

Os acham a gestão de Bolsonaro na crise de pandemia boa ou ótima caiu de 26% para 22%, abaixo da linha de segurança de um terço e também abaixo de um quarto. Os que veem o presidente como regular desceu de 25% para 24% enquanto 1% não opinou.

A pesquisa Datafolha foi realizada por telefone em 15 e 16 de março, com 2.023 brasileiros adultos que possuem telefone celular em todas as regiões e estados do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos