PSDB pode pular do barco de Ratinho Junior para tentar evitar extinção no Paraná

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) prepara voo oposicionista no Paraná, depois 10 anos na base de sustentação governista.

Atualmente, o ninho tem apenas três deputados estaduais –Ademar Traiano, Paulo Litro e Michele Caputo. Já a bancada federal tucana foi extinta na eleição de 2018. Nenhum foi eleito.

O PSDB vai tentar eleger o ex-governador Beto Richa em 2022.

Os tucanos paranaenses foram governo durante os oito anos de Richa e nos últimos dois de Ratinho Junior (PSD), no entanto, segundo informações do “Garganta Profunda do Palácio Iguaçu”, as “aves de rapina” querem abandonar o barco.

LEIA TAMBÉM
Ministério Público questiona afrouxamento do lockdown no Paraná

Professores: ‘Ratinho Junior quer escolas abertas e coloca vidas em risco’

O projeto autônomo do PSDB consistiria ainda em cooptar algumas bancadas na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), principalmente deputados do PSB –que tem cinco parlamentares.

Em 2022, não haverá coligação na chapa proporcional –a exemplo da eleição municipal de 2020. Ou seja, há uma tensão política porque, na conjuntura presente, a renovação na ALEP pode ser superior a 70%. De 54, apenas 16 voltariam –estima-se.

As eleições gerais do ano que vem serão as primeiras sem coligação proporcional para deputados estaduais e federais.

Tomando como base os votos válidos da eleição de 2018 (5.731.922 votos), o partido para eleger um deputado federal precisará ao menos de 191 mil votos.

Na disputa pela Assembleia Legislativa do Paraná, também como base os votos válidos de 2018 (5.696.515 votos), o partido para eleger um deputado estadual precisará ao menos de 105 mil votos.

Resumo da ópera: o PSDB será extinto no Paraná se continuar no barco de Ratinho.