Pela direita, Ciro Gomes sonha polarizar com o presidente Jair Bolsonaro em 2022

A derrapada política do governador João Doria (PSDB) foi a pá de cal que faltava para o projeto presidencial do tucano. Ele divulgou a ButanVac como sendo 100% brasileira quando, na verdade, era uma vacina “gringa” importada dos EUA. A mentira tem perna curta e a fanfarrice incomoda os eleitores.

Dito isso, a direita adotou como seu representante antipetista o ex-ministro Ciro Gomes (PDT). Ele é o que sobrou dentre tantos pés-de-chinelo que foram testados pela burguesia paulistana nos últimos meses. Os ex-ministros Henrique Mandetta (Saúde) e Sergio Moro (Justiça) não passaram de um rápido sonho de verão.

Por falar em sonho, Ciro imagina polarizando com o presidente Jair Bolsonaro no primeiro turno. Direita versus extrema direita. Essa disputa valeria uma vaga para disputar o segundo turno contra o candidato do PT, seja ele o ex-prefeito Fernando Haddad ou o ex-presidente Lula.

LEIA TAMBÉM
Flávio Dino ‘torce o nariz’ para as críticas de Ciro Gomes em nome da “Frente Ampla” em 2022

Ciro Gomes come cuscuz ao saber que é investigado pela PF por chamar Bolsonaro de “ladrão”

‘Ciro Gomes vai ter menos votos na próxima eleição’, prevê Lula

Sim, em 2022, os petistas estarão no segundo turno. Independente do candidato.

O PT, no entanto, ainda não definiu quem o representará. A tendência é que seja Lula o candidato em 2022. Com o ex-presidente ou com o ex-prefeito Haddad, o partido terá de aguardar o desfecho entre Bolsonaro x Ciro.

Portanto, seria tirar Bolsonaro do segundo turno. Ao menos esse é o cenário sonhado por Ciro e parte da burguesia paulistana.

Como diria Mané Garrincha, falta combinar com os “russos”, isto é, com os eleitores brasileiros.