O mundo continua chocado com o avanço da Covid-19 no Brasil

Nesta sexta-feira (26/3), a imprensa estrangeira mostra que continua bastante chocada com o avanço da pandemia no Brasil. A revista britânica The Economist traz reportagem destacando que a má gestão da Covid no país do carnaval é uma ameaça ao mundo. “Jair Bolsonaro tem muito a responder”, diz a semanal. “Milhões de brasileiros estão experimentando agora uma onda de choque. O país está sofrendo uma segunda onda de Covid, muito pior do que a primeira. O número de mortos registrados, em média mais de 2.300 por dia, é um quarto do total mundial. Isso apesar de o Brasil ter menos de 3% da população mundial”, relata.

O inglês The Guardian traz reportagem do correspondente Tom Phillips mostrando que os brasileiros lamentam a devastação de Covid enquanto os críticos atacam Bolsonaro. “A marcha mais triste de nossas vidas” é o título da matéria. Enquanto o país atinge 300 mil mortes, os médicos condenam a ‘política da morte’ do presidente, mas prometem lutar. “Desde o início da epidemia de Covid no Brasil em fevereiro passado, Bolsonaro se ocupou em banalizar seus perigos, evitando máscaras, sabotando o distanciamento social e exortando os cidadãos a rejeitar o bloqueio”, lembra o jornalista.

O argentino Clarín revela estudo apontando que o coronavírus já circulava no Brasil antes de ser detectado na China. Mostra coletada do esgoto de Florianópolis, no sul do país, revelou que o coronavírus estava presente em novembro de 2019, um mês antes dos primeiros casos oficiais de enfermidades do novo coronavírus na cidade chinesa de Wuhan. A manchete do jornal nesta sexta é o cancelamento dos voos vindos do Brasil como medida para frear o contágio na Argentina. Também o maior destaque no Página 12.

O português Diário de Notícias destaca que a situação no Brasil vai piorar e pode chegar a 5.000 mortes diárias no final de abril ou início de maio. É a previsão da Universidade Federal Fluminense. Em outra reportagem, a partir de despacho da agência Lusa, o jornal informa que o vice-presidente admite que as mortes ultrapassaram limite do bom senso. “As palavras de Hamilton Mourão contrariam o discurso do presidente Jair Bolsonaro, que apelou ao Supremo Tribunal Federal para impedir que governadores regionais e municipais imponham medidas para impedir o avanço da pandemia”, informa.

No alemão Sueddeutsche Zeitung, o destaque vai para o descontrole da pandemia no país. O jornal relata que o Brasil ganhou mais de 100 mil novas infecções em apenas 24 horas. “O número recorde de casos ocorre um dia depois que o Brasil estimou 300 mil mortes por causa da pandemia”, noticia. “Em vista do número crescente de infecções no Brasil, México e Chile, a Argentina está interrompendo voos.”

LEIA TAMBÉM
João Doria anuncia a vacina brasileira ‘ButanVac’ e Jair Bolsonaro entra em desespero [vídeo]

Cadê a vacina, Bolsonaro?

Auxílio emergencial ‘chinfrim’ será liberado dia 1º de abril, confirma Bolsonaro

Paulo Guedes, o ministro “semana que vem nós vamos”, jura que Brasil terá novo horizonte em 60 dias com vacinação