Ministro Nefi Cordeiro, 57 anos, anuncia pedido de aposentadoria no STJ

O ministro Nefi Cordeiro anunciou nesta terça-feira (2) que requereu sua aposentadoria. “A vida nos leva a contínuos momentos de repensar”, disse emocionado durante a abertura da sessão da 6ª turma do STJ. Com a decisão, o presidente Jair Bolsonaro poderá indicar seu substituto na corte.

Os integrantes da Turma especializada em direito penal ficaram surpresos com a aposentadoria precoce. Indicado pela ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2014, o ministro do STJ tem apenas 57 anos.

Nefi disse que pensou muito e resolveu que esse seria o momento, até por sustos de saúde, resolveu que ficará com a família e tomará outro caminho. Finalizou dizendo que sempre procurou fazer seu melhor e que já sente saudades.

Na condição de presidente da Turma, o ministro Antonio Saldanha externou a tristeza “em privarmos de um companheiro tão positivo, elegante e com tanta humanidade”.

Ministro Sebastião Reis Jr. desejou ao ministro Nefi muita felicidade e agradeceu a convivência.

LEIA TAMBÉM
“Novo ministro paranaense no STJ é ‘obra’ da Gleisi”, diz André Vargas

STJ manda prender “ex-editor” de Veja

Sobre a 6ª Turma do STJ

A 6ª Turma, especializada em direito penal, é composta pelos ministros Antonio Saldanha Palheiro (presidente), Laurita Vaz, Sebastião Reis Júnior, Rogerio Schietti Cruz e Nefi Cordeiro.

Quem é Nefi Cordeiro

Nomeado por Dilma Rousseff em 2014 como ministro do STJ, Nefi Cordeiro tomou posse no Tribunal da Cidadania em 3 de abril do mesmo ano. S. Exa. ocupou vaga aberta com a aposentadoria do ministro Castro Meira.

Formado em Direito e engenharia civil, Nefi Cordeiro fez mestrado e doutorado em Direito pela Universidade Federal do Paraná. Desempenhou as funções de promotor de Justiça em Araucária/PR e Palmital/PR, entre 1989 e 1990. Também exerceu o cargo de juiz de Direito de 1990 a 1992, e entre 1996 e 1999 foi vice-diretor do foro da seção judiciária do PR. Foi desembargador Federal do TRF da 4ª região.