Lula se solidariza a Felipe Neto após youtuber receber intimação da polícia política bolsonarista

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pelas redes sociais, manifestou solidariedade nesta terça-feira (16/3) ao youtuber Felipe Neto.

Felipe Neto foi intimado da Polícia Civil do Rio de Janeiro, na segunda-feira (15/3), para comparecer à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática.

O youtuber disse no Twitter que terá de responder por crime contra a segurança nacional por ter chamado o presidente Jair Bolsonaro de genocida.

“Manifesto minha solidariedade a Felipe Neto. Que a tentativa de intimidação e censura desse desgoverno não o impeça de continuar se manifestando livremente, como é próprio da democracia, independente de sua posição. O silenciamento é uma das armas do fascismo”, declarou Lula.

Em nota, a Polícia Civil disse que Felipe foi intimado após o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos – RJ) protocolar uma petição comunicando crime contra segurança nacional.

Em um vídeo publicado no Twitter, Felipe Neto desabafou ontem:

“Um carro da polícia acaba de vir na minha casa. Trouxeram intimação para que eu compareça e responda por crime contra segurança nacional porque chamei Jair Bolsonaro de genocida. Jair Bolsonaro de genocida. Carlos Bolsonaro foi no mesmo delegado que me indiciou por corrupção de menores. Sim, é isso mesmo”

“A clara tentativa de silenciamento se dá pela intimidação. Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, NUNCA o contrário. Carlos Bolsonaro, você não me assusta com seu autoritarismo. Não vai me calar”

“Minha atribuição do termo ‘genocida’ ao Presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia, o que contribuiu diretamente para milhares de mortes de brasileiros. Uma crítica política não pode ser silenciada jamais!”

“STJ já arquivou processo de crime contra a segurança nacional por críticas ao Presidente, quando tentaram silenciar à força Marcelo Feller, justamente por chamar Bolsonaro de genocida. Ninguém será silenciado à força nesse país por criticar seu pai, Carluxo”

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), também reagiu às ameaças ao youtuber Felipe Neto.

“Querem amordaçar os críticos do desgoverno e quem chama Bolsonaro de genocida. E não é? Criminoso é quem ameaça os outros com armas, esses precisam de polícia! Minha solidariedade às vítimas do fascismo”, escreveu no Twitter a dirigente petista.

Assista ao pronunciamento de Felipe Neto [vídeo]