Ludhmila disse ‘não’ a Bolsonaro

A cardiologista Ludhmila Hajjar disse ‘não’ ao convite do presidente Jair Bolsonaro, que pretendia colocá-la no Ministério da Saúde.

O general Eduardo Pazuello entrou na marca do pênalti em decorrência do “Efeito Lula“, a entrada do ex-presidente Lula no cenário eleitoral de 2022. A saúde é a pasta mais mal avaliada do governo.

Ludhmila foi intensamente bombardeada por bolsonaristas nas redes sociais, neste domingo (14/3), diante da informação de que ela se reunira por quase três horas com Bolsonaro.

A cardiologista já tinha avisado pessoas próximas que não aceitaria o convite para suceder Pazuello.

A médica Ludhmila é contra o tratamento precoce da covid-19, defende o uso de máscara e o distanciamento social –inclusive o lockdown– como estratégia de combate à pandemia. Talvez esses pontos tenham sido os maiores empecilhos para ela aceitar o convite –e ser aceita por Bolsonaro.

Portanto, por ora, o pesadelo continua na Saúde.