Efeito Lula: Bolsonaro demite Pazuello; cardiologista Marcelo Queiroga assume a Saúde

Caiu o general Eduardo Pazuello. Ele foi demitido nesta segunda-feira (15/3) devido ao Efeito Lula, que há uma semana vem sacudindo a política brasileira e forçando uma reviravolta no governo.

O presidente Jair Bolsonaro confirmou o médico Marcelo Queiroga para o Ministério da Saúde. Ele é presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

“[O novo ministro] tem tudo, no meu entender, para fazer um bom trabalho, dando prosseguimento em tudo que o Pazuello fez até hoje”, disse o presidente em um site bolsonarista.

“No tocante às vacinas, um programa bastante ousado, mais de 400 milhões de doses contratadas até o final do ano. Este mês vamos receber mais de 4 milhões de vacinas, e essa política de vacinação em massa continuará cada vez mais presente em nosso governo”, afirmou o presidente.

Queiroga foi a solução encontrada pelo governo após o “não” da médica Ludhmila Hajjar para assumir o lugar do general Eduardo Pazuello.

O general Eduardo Pazuello assumiu interinamente o Ministério da Saúde em 15 de maio de 2020, após o médico Nelson Teich, segundo a liderar a pasta durante a pandemia de Covid-19, pedir para sair pouco antes de completar um mês no cargo.

“[O] trabalho do Pazuello está muito bem feito, parte de gestão foi muito bem feita. E agora vamos partir para uma parte mais agressiva no tocante ao combate ao vírus”, elogiou Bolsonaro.

O presidente adiantou que a oficialização da indicação de Queiroga deve ser publicada na terça (16/3) e que o período de transição na Saúde deve durar “uma ou duas semanas”.

Jair Bolsonaro disse ainda que Queiroga, além da vacinação, vai promover outros programas para diminuir o número de mortes por Covid-19 no Brasil.

LEIA TAMBÉM
Na corda bamba, Pazuello faz balanço do enfrentamento da covid [vivo]

Em nota, Ricardo Barros desmente ex-ministro de Dilma sobre compra da vacina Sputnik V

Líder do governo pode ser investigado por compra de vacina russa Sputnik V