Derrotado no STF, Bolsonaro se reúne com governadores nesta quarta-feira

O presidente Jair Bolsonaro, o Mentiroso, vai se reunir nesta quarta-feira (24/3) com governadores após 300 dias de enfrentamentos acerca de medidas restritivas, de isolamento social e decretos de lockdown nos estados. Agora depois de derrotado no STF, a tese do Pinóquio presidencial consiste na união nacional para o combate à covid-19.

Nesta terça (23/3), o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, negou liminar a Bolsonaro contra governadores que adotaram toques de recolher em seus estados. O magistrado desqualificou tecnicamente a ação direta de inconstitucionalidade proposta pelo presidente.

Para não correr riscos de ouvir o que não quer, Bolsonaro escolheu a dedo 7 governadores –número de mentiroso, dizem os mandatários estaduais não convidados– para o encontro no Palácio do Planalto. Dentre eles estarão presentes Ratinho Junior (PSD), do Paraná, e Renan Filho (MDB), de Alagoas.

O coordenador do Fórum de Governadores, Wellignton Dias (PT-PI), não recebeu o convite para a reunião, no entanto, ele sugeriu que a implementação de medidas restritivas para todo o país esteja na pauta de hoje.

Ou seja, para aliviar as mentiras que ele conta, Jair Bolsonaro chamou em Palácio alguns governadores que decretaram medidas frouxas de combate à pandemia.

O caso de Ratinho é bastante emblemático. Ele baixou um decreto meia bomba e desapareceu no pior momento do avanço da doença. O governador paranaense só dará o ar da graça hoje depois de um hiato.

O Paraná é o estado que menos recebeu vacinas e, devido ao vácuo no poder, a oposição assumiu a compra de imunizantes junto a um fundo russo. Estão sendo negociadas até 13 milhões de doses da vacina Sputnik V estão com um consórcio formado por 87% dos municípios do estado –a despeito do sumiço de Ratinho Junior, que deverá reaparecer nesta quarta em Brasília.