Deputado bolsonarista defende tratamento precoce após contrair covid; cientistas desaconselham

O deputado bolsonarista Missionário Arruda (PSL), da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), comunicou nesta segunda-feira (22/3) que contraiu covid-19. Ele jurou que se curou com base no tratamento precoce da doença.

Membro da igreja do apóstolo Valdemiro Santiago, a Igreja Mundial do Poder de Deus, o parlamentar bolsonarista disse pegou a cepa mais forte, mais agressiva, e que fez uso na segunda fase da proxalutamida junto com corticoide.

Apesar do depoimento do Missionário Ricardo Arruda, autoridades sanitárias brasileiras alertam que não há elementos suficientes sobre a eficiência da proxalutamida no combate ao coronavírus, uma droga da família flutamida, utilizado no tratamento de câncer de próstata.

Cientistas também desaconselham a aplicação do ozônio mentolado, via anal, para combater a covid, como sugerem os defensores do tratamento precoce.

O jeito mais eficaz de combater a doença continua sendo a vacina e, enquanto não houver imunização em massa, lockdown para evitar aglomerações; uso de máscara, higienização das mãos e auxílio emergencial decente (ao menos R$ 600 para as pessoas ficarem em casa).

Deputado bolsonarista tem histórico de ódio contra PT

O deputado bolsonarista Ricardo Arruda tem um histórico de agressões contra o PT e a presidenta nacional do partido, a deputada Gleisi Hoffmann, que é do Paraná.

Em março de 2018, por exemplo, o judiciário obrigou Arruda apagar um vídeo em que ele xingava a petista.

Por volta de junho do mesmo ano, ao atacar o ex-presidente Lula, o filhote do Bolsonaro levou “sabugada” de um então deputado petista –Péricles Mello.

Para o azar e desespero do deputado Missionário Arruda, devido ao negacionismo do presidente Jair Bolsonaro e ao sumiço do governador Ratinho Junior, é Gleisi Hoffmann quem assumiu a articulação da compra de 13 milhões de doses da vacina russa Sputnik V.