Covid-19: o pior ainda está por vir

Autoridades sanitárias confidenciaram ao Blog do Esmael que o pior ainda está por vir no Paraná e no Brasil nos próximos 30 dias. As medidas duras de lockdown decretadas em algumas unidades da federação na semana passada, segundo elas, ocorreram para sinalizar à sociedade que a situação é gravíssima.

Faltam leitos em unidades de terapias intensivas (UTIs) em todas as regiões do país. No Paraná não é diferente, a exemplo do Noroeste do estado, com 100% de lotação. Nesse cenário, já não é mais possível receber pacientes transferidos de outros estados, pois todos estão na mesma situação: colapsados.

Até onde há recursos financeiros, nos estados mais ricos, faltam médicos para a abertura de novos leitos.

A falta de oxigênio, que era uma exclusividade no Amazonas, ronda agora hospitais em bairros ricos da capital paranaense e demais capitais.

É nesse contexto de colapso geral que governadores de ao menos 21 estados estão implorando para que o Ministério da Saúde, em ação unificada, decrete lockdown em todo o país. No entanto, o presidente Jair Bolsonaro se opõe à medida que poderia conter o avanço da pandemia e as variantes do vírus.

Ao invés de acatar sugestões das autoridades de saúde, Bolsonaro optou por disseminar fake news sobre o repasse de recursos financeiros aos estados.

“A mentira federal sobre repasse de recursos ao Estado do Maranhão é tão absurda que o valor “informado” (R$ 36 bilhões) equivale quase ao DOBRO do orçamento do Estado em 2020. Vamos ter que, mais uma vez, entrar na Justiça por essa vergonhosa fake news”, protestou o governador maranhense Flávio Dino (PCdoB).

O presidente ainda atrapalha ao ameaçar governadores com bloqueio do auxílio emergencial, caso eles adotem restrições a serviços não essenciais para barrar a tragédia anunciada.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil somou neste domingo (28) 254.942 mortes e 10.551.259 casos de covid-19 desde o início da pandemia.