Centrão articula campanha “Lira Livre” após decisão do STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) manteve nesta terça-feira (2) denúncia contra o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), por suspeita de corrupção.

O ministro Edson Fachin, da Segunda Turma, encaminhou o inquérito para exame do plenário do STF.

Pela decisão do colegiad, em cima de embargos de declaração, Lira continua réu na denúncia feita pela falecida Lava Jato sobre suposto recebimento de propina de quase R$ 1,6 milhão, que teriam sido paga pela construtora Queiroz Galvão.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) havia pedido no ano passado o arquivamento da denuncia contra o presidente da Câmara, no entanto, Fachin, relator dos processos da Lava Jato, pediu para que o caso seguisse em frente no STF.

Na Câmara, hoje à tarde, um espirituoso deputado do Centrão dizia que lançará em breve a campanha “Lira Livre” –uma corruptela do movimento “Lula Livre” surgido quando o ex-presidente Lula esteve injustamente preso em Curitiba.

O Centrão é a principal base de apoio do presidente Jair Bolsonaro no Congresso Nacional.